Pastagem rotacionada assegura produção leiteira na estiagem; sistema será demonstrado na Rondônia Rural Show

pastagem

 

Pastagem rotacionada – O agricultor familiar, que tem queda na produção de leite durante a época da seca amazônica, já pode ver uma luz no fim do túnel. O sistema de pastagem rotacionada adubada e irrigada é uma alternativa de investimento que pode trazer resultados animadores ao homem do campo. A tecnologia empregada no modelo será apresentada na 6ª Rondônia Rural Show, de 24 a 27 deste mês, em Ji-Paraná.
A história se repete todo ano. O período da seca se instala e a produção do leite diminui devido o capim ralear no pasto tradicional. Apenas um alqueire na propriedade é suficiente para que o pequeno produtor mantenha a produtividade do leite no período mais crítico do ano.
“É nesse momento que o produtor rural ganha força de negociação com os laticínios, pois mantém a produtividade no mesmo patamar da época das chuvas”, disse o técnico responsável pela pastagem rotacionada, Crescêncio Fonseca, conhecido como Mineiro.
Ele explicou que o sistema necessariamente precisa ser irrigado e adubado para que a resposta em produtividade seja garantida. “A irrigação e a adubação, bem como, o tipo de capim, estão inseridos na proposta. Mesmo assim, o investimento é compensador ao produtor”, garante Mineiro, orientando que em um alqueire 20 vacas podem ser alimentadas o ano inteiro no sistema rotacionado que é distribuído em 24 piquetes de mil metros quadrados cada. “A manada fica um dia em cada piquete”, detalha o técnico.
O valor do investimento para implantar a tecnologia no sítio vai depender do interesse do produtor. “Ele é quem vai nos dizer quantas cabeças de vacas dispõe e o tamanho da área a ser preparada”, disse Mineiro, destacando outra vantagem: “no rotacionado, o produtor não precisa sair pasto afora juntando vacas, elas estarão no mesmo local, e sobra mais área na propriedade para outros investimentos geradores de renda”.
Durante a Rondônia Rural Show, linhas de créditos de até R$ 50 mil terão juros custeados pelo governo estadual, que também incentiva o pequeno produtor a investir em melhoramento genético para produção leiteira. Graças à genética e aos cuidados com o animal, o rebanho de Rondônia já conta com vacas que dão 40 litros diariamente.
A feira do agronegócio está em espaço próprio do governo estadual doado pela prefeitura de Ji-Paraná. São 50 hectares já ocupados com os atrativos que a edição deste ano traz aos visitantes. O setor produtivo é o maior impulsionador da economia de Rondônia. O evento tecnológico de Ji-Paraná já é o oitavo do agronegócio brasileiro entre os 20 principais. A entrada é gratuita.
http://terraviva.com.br/site/index.php?option=com_k2&view=item&id=11590:pastagem-rotacionada-assegura-producao-leiteira-na-estiagem-sistema-sera-demonstrado-na-rondonia-rural-show

*


*

Related posts


Top