Justiça suspende negócio de R$ 1,4 bilhão envolvendo dona da Batavo

Justiça suspende negócio de R$ 1,4 bilhão envolvendo dona da Batavo e Elegê

Francesa Lactalis tinha levado a melhor sobre rivais mexicanos na disputa pelo laticínio mineiro Itambé, mas negócio foi desfeito por ordem judicial

Franceses da Lactalis são competitivos no Brasil em leite longa vida e queijo, mas perdem para os rivais Nestlé e Danone em produtos de maior valor agregado como iogurte. | Arquivo
Franceses da Lactalis são competitivos no Brasil em leite longa vida e queijo, mas perdem para os rivais Nestlé e Danone em produtos de maior valor agregado como iogurte.

Duas semanas após a compra do laticínio mineiro Itambé pela francesa Lactalis – dona das marcas Batavo e Elegê – , a Justiça suspendeu a operação.
A decisão do juiz Luis Felipe Ferrari Bedendi, da 1ª Vara Empresarial de São Paulo, interrompe um negócio que supera R$ 1,4 bilhão.
Agora suspensa, a situação fica congelada no patamar anterior ao negócio e pode dificultar as operações da empresa enquanto não se encontra uma solução. Antes de ser comprada pela companhia francesa, no início deste mês, a Itambé pertencia à CCPR (Cooperativa de Produtores de Leite de Minas Gerais).

Os franceses passaram na frente da Lala, companhia mexicana que também tentava comprar a Itambé e que recentemente comprou a Vigor, vendida pela J&F depois da crise provocada pela delação dos irmãos Joesley e Wesley Batista em maio deste ano.

A cooperativa mineira dividia o controle da Itambé com a J&F, cada uma com 50%, desde 2013, mas neste ano resolveu exercer seu direito de preferência e recomprar a fatia que pertencia à família Batista.

Para exercer seu direito de preferencia e evitar o negócio com a Lala, a CCPR pediu apoio da Codemig (Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais) e do BNDES.

A Codemig chegou a aprovar um aporte de R$ 587 milhões para a CCPR, mas o empréstimo não foi feito. A diretoria da CCPR preferiu fechar o negócio com a Lactalis.

Com a aquisição da Itambé, a Lactalis se firmaria como a maior compradora de leite do Brasil, ultrapassando a suíça Nestlé. No ano passado, a Nestlé captou 1,69 bilhão de litros, seguida pela Lactalis com 1,62 bilhão, e pela CCPR/Itambé com 1,1 bilhão, conforme ranking elaborado pela Associação Leite Brasil.

A Lactalis chegou ao país depois de adquirir os ativos que pertenciam à BRF, quando a companhia decidiu deixar de atuar em lácteos. Além das fábricas, foram compradas marcas como Batavo e Elegê.

http://www.gazetadopovo.com.br/agronegocio/justica-suspende-negocio-de-r-14-bilhao-envolvendo-dona-da-batavo-e-elege-2g70oghp1qaod4wzr02hwlpc1

Tags:
Toda reclamação originada das informações contidas no site de eDairy News será submetida à jurisdição dos Tribunais Ordinários do Primeiro Distrito Judicial da Província de Córdoba, República Argentina, sediado na Cidade de Córdoba, com exclusão de qualquer outro local, incluso o Federal.

*

Critérios na moderação de comentários em termos de publicação e Notícias de produtos em todas as suas publicações.

  • No sé considerarán insultos de qualquer tipo em contra de qualquer persona, sea usuario, moderador ó editor. Apenas se aceitar denuncias realizadas com nome e apelido do autor do comentario, previa confirmação de moderador.
  • Críticas destructivas infundadas e gratuitas, expressões de mal gusto, sean ofensivas, racistas ou xenófobas.
  • Hacer SPAM, (Insertar vínculos de páginas web sem links para o tema, correções eletrônicas, etc ...)
  • Comentários que não tem sentido com a nota no setor lácteo.

Related posts


Top