De acordo com o relatório, a “crescente adoção do estilo de vida vegano em todo o mundo” é um fator importante que motivo o crescimento do mercado de frutas e vegetais conforme “os amantes de vegetais testemunham um desenvolvimento exponencial com o triplo de crescimento na década mais recente”. O número de pessoas que se tornam veganas está atingindo um nível máximo que é histórico em todo o mundo.

Este aumento ocorre em muitos países. Nos EUA, o veganismo cresceu 600% apenas nos últimos três anos. Da mesma forma, o número de australianos veganos foi de 1% para em torno de 8%. Na Alemanha, o número de pessoas que abandonaram a carne dobrou. Já a China deverá se tornar um dos mercados veganos com o crescimento mais rápido do mundo.

O documento que as pessoas se tornam veganas por diversos motivos. A “garantia de benefícios para a saúde ao consumir frutas e vegetais” é uma das principais razões. Cada vez mais pesquisas mostram como o estilo de vida pode beneficiar a saúde e reduzir o risco de doenças. Recentemente, cientistas sugeriram que uma alimentação vegana pode ser fundamental para ganhar a guerra contra o câncer. No último mês, o NHS reconheceu que os vegetais pode, prevenir diabetes, enquanto a ingestão de carne é cada vez mais ligada à doença.

Além disso, uma companhia de seguros de saúde afirmou que “o vegano é mais saudável” e agora oferece taxas de seguro com desconto em planos de vida e de saúde.

O relatório também identificou a “melhor prosperidade”, a “desintoxicação” e um “senso de moralidade em relação a criaturas” como motivadores para o veganismo, segundo o Livekindly.

Um estudo realizado no final de 2017 revelou que apenas um em cada 10 adultos ingeriam a quantidade recomendada de frutas e vegetais. Além disso, aqueles que não consomem frutas e vegetais suficientes aumentam o risco de doenças crônicas, incluindo diabetes e doenças cardíacas. O mercado mundial de frutas e vegetais deve aumentar a uma taxa composta anual de pelo menos 5,11% até 2021.

Fonte: Agência de Notícias Direito dos Animais (ANDA)