O Conselho Paritário de Produtores e Indústrias (Conseleite) do Rio Grande do Sul se disse preocupado com a continuidade dos bloqueios de cargas nas estradas. “Apesar das Medidas Provisórias (MPs) publicadas ainda na noite de domingo pelo presidente Michel Temer com concessões aos caminhoneiros, diversas cargas seguem retidas nas estradas do Rio Grande do Sul, entre elas caminhões tanque de leite cru e insumos para as indústrias”, afirmou, em nota. Na avaliação da entidade, diariamente a perda é de cerca de 8 milhões de litros de leite.

E acrescentou: “O Conseleite conclama os líderes do movimento grevista e os próprios caminhoneiros a se solidarizem com o setor, viabilizando a chegada, o mais rápido possível, de insumos aos laticínios para que, tão logo as plantas fabris estejam reabastecidas, a captação de leite possa ser retomada a pleno.” A entidade ainda ressalta que a demora na retomada da produção “pode levar ao colapso financeiro de centenas de tambos [fazenda de leite] gaúchos que já enfrentavam, desde antes da greve, a pior rentabilidade da atividade em anos”.

Fonte: ESTADÃO CONTEÚDO.