Agroindústrias e laticínios catarinenses retornam às atividades

Agroindústrias e laticínios catarinenses retornam às atividades

 

Após 10 dias de paralisação dos caminhoneiros, as agroindústrias e laticínios catarinenses retornam às atividades. A partir desta quarta-feira, 30, as grandes indústrias instaladas no Estado voltaram a abater suínos e aves e a tendência é de que nos próximos dias o setor volte à sua normalidade.

Jeferson Baldo/SECOM
Agroindústrias e laticínios catarinenses retornam às atividades

Polícia Militar realiza o desbloqueio do acesso à subsidiária da Petrobras em Antônio Carlos. O trabalho garantirá a saída de caminhões carregados com combustível, que abastecerão a região da Grande Florianópolis.

 

A Cooperativa Central Aurora, a BRF Brasil, a JBS e a Pamplona já têm plantas em pleno funcionamento em Santa Catarina e devem retomar o ritmo normal progressivamente, de acordo com a capacidade de estocagem. Segundo o secretário de Estado da Agricultura e da Pesca, Airton Spies, essa notícia traz uma tranquilidade maior ao setor e evita o sacrifício sanitário de animais pela falta de alimentos.

“Nos últimos dias foi feito um esforço enorme do Governo do Estado, no Comitê Integrado de Crise e do setor produtivo para evitar a morte de animais por inanição. E nossa missão está sendo concluída com sucesso porque em Santa Catarina não tivemos notificação de mortalidade em massa. Com a reativação de diversas plantas frigoríficas e a retomada dos transportes de insumos, reduzimos a demanda por ração e o fornecimento de suprimentos começa a se normalizar”, ressalta.

A paralisação dos caminhoneiros trouxe prejuízos ao agronegócio catarinense, que deve ter impacto na rentabilidade do setor este ano. O secretário Spies explica que levará algum tempo até a normalidade total ser estabelecida, porém todos os elos da cadeia produtiva e Governo do Estado estão juntos nesse desafio. “Com o esforço dos produtores rurais, agroindústrias, transportadores e trabalhadores do setor agropecuário, nós retomaremos gradualmente a normalidade, mostrando a força do agronegócio catarinense”.

Containeres 

Para acelerar a retomada das atividades do agronegócio, o Governo do Estado faz um enorme esforço na movimentação de mais de 300 containeres que serão utilizados para o transporte de produtos prontos com destino aos portos catarinenses. “Esse enorme comboio se deslocando para o Litoral, e também no sentido contrário, marca a retomada da produção em Santa Catarina”, comemora o secretário.

Frutas e Verduras

Nesta quarta-feira, 30, a movimentação na Ceasa-SC deu sinais de retomada, com 50% da oferta de produtos já normalizada. Nos próximos dias, a comercialização de frutas e verduras deve voltar ao ritmo tradicional.

Leite

Os laticínios também retomam progressivamente a coleta de leite, conforme a capacidade de estocagem, expedição e entrada de insumos.

Alimentação Animal

A liberação dos estoques de milho da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) para alimentação animal nesta quarta-feira, 30, também trouxe um novo ânimo ao setor. São 42 mil toneladas disponíveis a um preço de R$ 31,90/saca.

Até o momento, as agroindústrias e produtores catarinenses já retiraram mais de oito mil toneladas do produto. Os armazéns da Conab estão localizados em corredores de abastecimento nos municípios de Campos Novos, Quilombo, Chapecó, Mafra, Irineópolis, Itapiranga, Maracajá, Braço do Norte, Herval d´Oeste, Coronel Freitas, São Miguel do Oeste e Bom Jesus.

Toda reclamação originada das informações contidas no site de eDairy News será submetida à jurisdição dos Tribunais Ordinários do Primeiro Distrito Judicial da Província de Córdoba, República Argentina, sediado na Cidade de Córdoba, com exclusão de qualquer outro local, incluso o Federal.

*

Critérios na moderação de comentários em termos de publicação e Notícias de produtos em todas as suas publicações.

  • No sé considerarán insultos de qualquer tipo em contra de qualquer persona, sea usuario, moderador ó editor. Apenas se aceitar denuncias realizadas com nome e apelido do autor do comentario, previa confirmação de moderador.
  • Críticas destructivas infundadas e gratuitas, expressões de mal gusto, sean ofensivas, racistas ou xenófobas.
  • Hacer SPAM, (Insertar vínculos de páginas web sem links para o tema, correções eletrônicas, etc ...)
  • Comentários que não tem sentido com a nota no setor lácteo.

Related posts


Top