ÔĽŅ Pesquisador da Embrapa apresentou benef√≠cios do Programa de Melho

Pesquisador da Embrapa apresentou benef√≠cios do Programa de Melhoramento Gen√©tico de B√ļfalos para criadores e gestores do Amap√°

Os benef√≠cios socioecon√īmicos da bubalinocultura, sobretudo para gera√ß√£o de emprego e renda por meio do incremento da produ√ß√£o de carne e leite para queijos, e a forma de colocar em pr√°tica o Programa de Melhoramento Gen√©tico de Manejo de B√ļfalos para Leite e Carne (Prombull) no Estado do Amap√°, foram explicados pelo pesquisador da Embrapa Amaz√īnia Oriental (PA), Jos√© Ribamar Marques, a um p√ļblico formado de pecuaristas, t√©cnicos extensionistas, acad√™micos, gestores de √≥rg√£os t√©cnicos e de fomento, durante a 1¬™ Expob√ļfalo do Amap√°, realizada em Macap√° (AP).

Marques atuou em dois momentos do evento que ocorreu de 30 de maio a 2 de junho, no Parque de Exposi√ß√Ķes de Fazendinha / Macap√°. No dia 1¬ļ de junho ele proferiu uma palestra show simult√Ęnea √† oficina de produ√ß√£o de queijos com leite de b√ļfala, conduzida pelo produtor e mestre queijeiro Emmanuel Lopes dos Santos, da CoopMaraj√≥; e no dia 2 de junho apresentou as diretrizes do Promebull para compor o Plano de Fortalecimento da Pecu√°ria do Estado do Amap√°, a ser implementado pela Secretaria Estadual de Desenvolvimento Rural (SDR). Ao final da palestra, Ribamar Marques entregou ao governador do Amap√°, Waldez G√≥es, que esteve na plateia, um livro que conta a hist√≥ria da bubalinocultura no Par√°.

Tamb√©m estavam presentes o chefe-geral da Embrapa Amap√°, Nagib Mel√©m, acompanhado de pesquisadores e t√©cnicos da √°rea de transfer√™ncia de tecnologias desta institui√ß√£o; o representante da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Agropecu√°rio e da Pesca do Par√° (Sedap), Tarc√≠sio Mesquita; o Secret√°rio Estadual de Desenvolvimento Rural do Amap√°, Rob√©rio Nobre; a diretora-presidente da Funda√ß√£o de Amparo √† Pesquisa (Fapeap), Mary Guedes; o diretor-presidente do Instituto Estadual de Desenvolvimento Rural, H√©lio Dantas; o presidente da Federa√ß√£o de Pecu√°ria e Agricultura do Amap√° (Faeap), Ira√ßu Colares; o presidente da Associa√ß√£o dos Criadores do Amap√° (Acriap), Jesus Pontes, e outros gestores de institui√ß√Ķes.

O pesquisador Ribamar Marques ¬†mostrou dados do diagn√≥stico da bubalinocultura nos estados do Par√° e do Amap√°, deixando claro que existe um nicho de mercado a ser conquistado pelos criadores do Amap√° e para isso √© importante o investimento no planejamento da produ√ß√£o de leite de b√ļfala, por exemplo. ‚ÄúO Amap√° e o Par√° juntos possuem 60% do rebanho bubalino do Brasil, totalizando cerca de 800 mil cabe√ßas de b√ļfalo. Isso mostra que nossa regi√£o √© produtora de comida, principalmente no corte de carnes e na produ√ß√£o de leite de b√ļfala, que andam de m√£os dadas quando se trata de impulsionar a economia dos produtores‚ÄĚ, disse Ribamar Marques.

A proposta final √© que o projeto Promebull, j√° implementado no Par√° em parceria com a Secretaria Estadual da Agricultura e da Pesca (Sedap) daquele estado e produtores locais, seja adaptado para as peculiaridades do Amap√°. A iniciativa vem sendo desenvolvida na regi√£o do Maraj√≥ (PA), onde foram realizadas 200 insemina√ß√Ķes com s√™mens de animais selecionados em f√™meas em 2017. Com rela√ß√£o ao Plano de Fortalecimento da Pecu√°ria do Estado do Amap√°, o titular da SDR, Rob√©rio Nobre ressaltou que ser√° composto de quatro pontos espec√≠ficos: sanidade animal, gen√©tica, alimenta√ß√£o e mercado. ‚ÄúPrimeiro √© necess√°rio garantir a sanidade do rebanho bubalino, ou seja, manter a vacina√ß√£o. Outro ponto importante √© o melhoramento gen√©tico dos b√ļfalos, com a implanta√ß√£o do Projeto Promebul‚ÄĚ, ressaltou Nobre.

De acordo com o IBGE, o Amap√° possui o segundo maior rebanho de bubalinos do Brasil com 268.903 cabe√ßas, sendo 20,2/% do rebanho nacional. Os criadores desenvolvem a atividade bubalina com quatro esp√©cies ‚Äď jafarabadi, mediterr√Ęneo, murrah e carabao ‚Äď geneticamente modificadas. Os animais s√£o criados na regi√£o do baixo Araguari, na Regi√£o dos Lagos, no munic√≠pio de Pracuuba e no Vale do Jari.

Os benef√≠cios socioecon√īmicos da bubalinocultura, sobretudo para gera√ß√£o de emprego e renda por meio do incremento da produ√ß√£o de carne e leite para queijos, e a forma de colocar em pr√°tica o Programa de Melhoramento Gen√©tico de Manejo de B√ļfalos para Leite e Carne (Prombull) no Estado do Amap√°, foram explicados pelo pesquisador da Embrapa Amaz√īnia Oriental (PA), Jos√© Ribamar Marques, a um p√ļblico formado de pecuaristas, t√©cnicos extensionistas, acad√™micos, gestores de √≥rg√£os t√©cnicos e de fomento, durante a 1¬™ Expob√ļfalo do Amap√°, realizada em Macap√° (AP).

Marques atuou em dois momentos do evento que ocorreu de 30 de maio a 2 de junho, no Parque de Exposi√ß√Ķes de Fazendinha / Macap√°. No dia 1¬ļ de junho ele proferiu uma palestra show simult√Ęnea √† oficina de produ√ß√£o de queijos com leite de b√ļfala, conduzida pelo produtor e mestre queijeiro Emmanuel Lopes dos Santos, da CoopMaraj√≥; e no dia 2 de junho apresentou as diretrizes do Promebull para compor o Plano de Fortalecimento da Pecu√°ria do Estado do Amap√°, a ser implementado pela Secretaria Estadual de Desenvolvimento Rural (SDR). Ao final da palestra, Ribamar Marques entregou ao governador do Amap√°, Waldez G√≥es, que esteve na plateia, um livro que conta a hist√≥ria da bubalinocultura no Par√°.

Tamb√©m estavam presentes o chefe-geral da Embrapa Amap√°, Nagib Mel√©m, acompanhado de pesquisadores e t√©cnicos da √°rea de transfer√™ncia de tecnologias desta institui√ß√£o; o representante da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Agropecu√°rio e da Pesca do Par√° (Sedap), Tarc√≠sio Mesquita; o Secret√°rio Estadual de Desenvolvimento Rural do Amap√°, Rob√©rio Nobre; a diretora-presidente da Funda√ß√£o de Amparo √† Pesquisa (Fapeap), Mary Guedes; o diretor-presidente do Instituto Estadual de Desenvolvimento Rural, H√©lio Dantas; o presidente da Federa√ß√£o de Pecu√°ria e Agricultura do Amap√° (Faeap), Ira√ßu Colares; o presidente da Associa√ß√£o dos Criadores do Amap√° (Acriap), Jesus Pontes, e outros gestores de institui√ß√Ķes.

O pesquisador Ribamar Marques ¬†mostrou dados do diagn√≥stico da bubalinocultura nos estados do Par√° e do Amap√°, deixando claro que existe um nicho de mercado a ser conquistado pelos criadores do Amap√° e para isso √© importante o investimento no planejamento da produ√ß√£o de leite de b√ļfala, por exemplo. ‚ÄúO Amap√° e o Par√° juntos possuem 60% do rebanho bubalino do Brasil, totalizando cerca de 800 mil cabe√ßas de b√ļfalo. Isso mostra que nossa regi√£o √© produtora de comida, principalmente no corte de carnes e na produ√ß√£o de leite de b√ļfala, que andam de m√£os dadas quando se trata de impulsionar a economia dos produtores‚ÄĚ, disse Ribamar Marques.

A proposta final √© que o projeto Promebull, j√° implementado no Par√° em parceria com a Secretaria Estadual da Agricultura e da Pesca (Sedap) daquele estado e produtores locais, seja adaptado para as peculiaridades do Amap√°. A iniciativa vem sendo desenvolvida na regi√£o do Maraj√≥ (PA), onde foram realizadas 200 insemina√ß√Ķes com s√™mens de animais selecionados em f√™meas em 2017. Com rela√ß√£o ao Plano de Fortalecimento da Pecu√°ria do Estado do Amap√°, o titular da SDR, Rob√©rio Nobre ressaltou que ser√° composto de quatro pontos espec√≠ficos: sanidade animal, gen√©tica, alimenta√ß√£o e mercado. ‚ÄúPrimeiro √© necess√°rio garantir a sanidade do rebanho bubalino, ou seja, manter a vacina√ß√£o. Outro ponto importante √© o melhoramento gen√©tico dos b√ļfalos, com a implanta√ß√£o do Projeto Promebul‚ÄĚ, ressaltou Nobre.

De acordo com o IBGE, o Amap√° possui o segundo maior rebanho de bubalinos do Brasil com 268.903 cabe√ßas, sendo 20,2/% do rebanho nacional. Os criadores desenvolvem a atividade bubalina com quatro esp√©cies ‚Äď jafarabadi, mediterr√Ęneo, murrah e carabao ‚Äď geneticamente modificadas. Os animais s√£o criados na regi√£o do baixo Araguari, na Regi√£o dos Lagos, no munic√≠pio de Pracuuba e no Vale do Jari.

Toda reclama√ß√£o originada das informa√ß√Ķes contidas no site de eDairy News ser√° submetida √† jurisdi√ß√£o dos Tribunais Ordin√°rios do Primeiro Distrito Judicial da Prov√≠ncia de C√≥rdoba, Rep√ļblica Argentina, sediado na Cidade de C√≥rdoba, com exclus√£o de qualquer outro local, incluso o Federal.

*

Crit√©rios na modera√ß√£o de coment√°rios em termos de publica√ß√£o e Not√≠cias de produtos em todas as suas publica√ß√Ķes.

  • No s√© considerar√°n insultos de qualquer tipo em contra de qualquer persona, sea usuario, moderador √≥ editor. Apenas se aceitar denuncias realizadas com nome e apelido do autor do comentario, previa confirma√ß√£o de moderador.
  • Cr√≠ticas destructivas infundadas e gratuitas, express√Ķes de mal gusto, sean ofensivas, racistas ou xen√≥fobas.
  • Hacer SPAM, (Insertar v√≠nculos de p√°ginas web sem links para o tema, corre√ß√Ķes eletr√īnicas, etc ...)
  • Coment√°rios que n√£o tem sentido com a nota no setor l√°cteo.

Related posts

ÔĽŅ
Top