6 dicas para a formação de pastagem de boa qualidade - eDairy News

6 dicas para a formação de pastagem de boa qualidade

Além de escolher a forrageira certa, o produtor deve se preocupar com a época do plantio, qualidade da semente e fertilidade do solo

A formação de boas pastagens é fundamental para que a pecuária de corte e de leite gere bons resultados. Além da escolha das forrageiras, existem outros cuidados para garantir o bom desenvolvimento do pasto. “Há grande influência do manejo sobre o valor nutricional das gramíneas”, diz o pesquisador Domingos Paciullo, da Embrapa Gado de Leite. “A reposição de nutrientes ao solo, por meio da adubação, é fundamental para garantir boa produtividade e qualidade adequada pensando na nutrição de bovinos”. Confira quais são os fatores que devem ser observados pelo produtor para formar uma pastagem produtiva e sustentável.

1 – Escolha da espécie forrageira

É fundamental que a forrageira escolhida seja compatível com o clima e as condições locais da fazenda. “Por exemplo, capins que não toleram solos encharcados normalmente morrem quando plantados em várzeas úmidas. Embora pareça uma coisa lógica, já vimos situações em que produtores efetuaram o plantio de espécies com pouca adaptação ao encharcamento em solos de várzea úmida, o que levou à degradação da pastagem em pouco tempo”, diz o pesquisador Domingos Paciullo. Há ainda forrageiras indicadas para cada fase do sistema de produção, como recria ou engorda, ou atividade pecuária.

2 – Época de plantio

O plantio da forrageira sempre deve coincidir com o início do período de chuvas na região, independentemente da variedade escolhida. Segundo Paciullo, plantios tardios, após a temporada de chuvas, normalmente frustram as expectativas dos produtores pois é comum o estabelecimento inadequado da pastagem, o que exige o gastos extras, como despesa com capinas e replantio.

3 – Qualidade da semente

O produtor deve ter em mente que a qualidade da semente é um ponto muito importante para o sucesso da pastagem. “Adquirir sementes de firmas idôneas e conhecer o valor cultural da semente contribui para o sucesso do plantio da forrageira”, afirma Paciullo.

4 – Preparo do solo

Solos mal preparados podem ser causa de insucesso na formação da pastagem. De acordo com o pesquisador da Embrapa Gado de Leite Carlos Gomide, existem várias técnicas para o preparo do solo, como o preparo convencional com aração e gradagem e o plantio direto, sem revolvimento do solo. A orientação é que o produtor escolha o preparo de solo de acordo com a realidade da sua propriedade.

5 – Correção e fertilização do solo

Segundo Gomide, algumas forrageiras precisam de solos férteis enquanto outras são tolerantes ao plantio em solos sem adubação. Antes de plantar a forrageira, é preciso investir na análise de solo, que indicará ao produtor as necessidades de aplicação de calcário, fósforo e potássio para atender a pastagem. “Espécies mais exigentes plantadas em condições inadequadas de fertilidade poderão ter sua produção comprometida em pouco tempo, inviabilizando o sistema do ponto de vista econômico”, diz Gomide.

6 – Profundidade e densidade de plantio

A orientação dos especialistas diz que sementes pequenas devem ser plantadas a profundidades que variam entre dois e três centímetros. Segundo Gomide, quando plantadas muito profundas podem não emergir na superfície do solo e comprometer o estande inicial de plantas. É importante lembrar que a densidade de plantio dependerá da espécie e do valor cultural.

6 dicas para a formação de pastagem de boa qualidade

Toda reclamação originada das informações contidas no site de eDairy News será submetida à jurisdição dos Tribunais Ordinários do Primeiro Distrito Judicial da Província de Córdoba, República Argentina, sediado na Cidade de Córdoba, com exclusão de qualquer outro local, incluso o Federal.

*

Critérios na moderação de comentários em termos de publicação e Notícias de produtos em todas as suas publicações.

  • No sé considerarán insultos de qualquer tipo em contra de qualquer persona, sea usuario, moderador ó editor. Apenas se aceitar denuncias realizadas com nome e apelido do autor do comentario, previa confirmação de moderador.
  • Críticas destructivas infundadas e gratuitas, expressões de mal gusto, sean ofensivas, racistas ou xenófobas.
  • Hacer SPAM, (Insertar vínculos de páginas web sem links para o tema, correções eletrônicas, etc ...)
  • Comentários que não tem sentido com a nota no setor lácteo.

Related posts


Top