Agropecuaristas terceirizam a produção de silagem para reduzir os custos

Agropecuaristas terceirizam a produção de silagem para reduzir os custos de produção na pecuária leiteira

Para isso, as propriedades rurais contam com o auxílio da forrageira que proporciona uma silagem com mais qualidade e mantém o mesmo volume de produção do leite durante o ano todo.

Na região de Vicentinópolis/GO, a propriedade rural Dois Irmãos de 400 hectare está apostando há três anos na diversificação de cultura e fazendo a integração lavoura-pecuária. Para a produção de silagem, a fazenda conta com o auxílio da forrageira 8300i da John Deere.

A agropecuarista, Thaís Priscila de Pádua, destaca que com a diversificação de cultura a propriedade consegue manter durante o ano o mesmo nível de produção de leite. “Geralmente, quem opta por  gado a pasto a seis e no restante confinamento, o leite oscila. No meu caso não, pois eu consigo manter o mesmo volume de leite com o mesmo custo”, afirma.

No entanto, o que mais encarece os custos de produção ainda é a alimentação dos animais, e pensando nisso, a propriedade optou por terceirizar a colheita e o corte do milho para a produção de silagem. A máquina vem equipada com motor de 483 cv de potência e tem um alto desempenho de trabalho de 2,5 hectare por hora.

Toda reclamação originada das informações contidas no site de eDairy News será submetida à jurisdição dos Tribunais Ordinários do Primeiro Distrito Judicial da Província de Córdoba, República Argentina, sediado na Cidade de Córdoba, com exclusão de qualquer outro local, incluso o Federal.

*

Critérios na moderação de comentários em termos de publicação e Notícias de produtos em todas as suas publicações.

  • No sé considerarán insultos de qualquer tipo em contra de qualquer persona, sea usuario, moderador ó editor. Apenas se aceitar denuncias realizadas com nome e apelido do autor do comentario, previa confirmação de moderador.
  • Críticas destructivas infundadas e gratuitas, expressões de mal gusto, sean ofensivas, racistas ou xenófobas.
  • Hacer SPAM, (Insertar vínculos de páginas web sem links para o tema, correções eletrônicas, etc ...)
  • Comentários que não tem sentido com a nota no setor lácteo.

Related posts


Top