Assentado de Bataguassu serve de exemplo em cuidados com o pasto

Assentado de Bataguassu serve de exemplo em cuidados com o pasto

Em seus 20 hectares, dentro do assentamento Montana, localizado no municí­pio de Bataguassu, a 335 quilí´metros de Campo Grande, o pequeno produtor rural, Clovis Lorenço, serve de exemplo para produtores de todas as classes, quando se trata de produtividade de leite durante o perí­odo de seca.

Há mais de dez anos no ramo do leite, o assentado cria em sua propriedade 22 vacas leiteiras com a média de 2 mil litros de leite  por míªs. Normalmente esta produtividade costumava a diminuir no perí­odo de seca, (maio a setembro) o que tornava uma preocupação para o produtor. “ Toda vez era um pesadelo. Como dependo do leite para sobreviver, na seca era complicado, pois a produção diminuí­a por falta de ter o que a dá de comer para a vaca, já que o pasto ficava seco por causa da estiagem” – explica Clóvis í  reportagem do Capital News, usando o “passado” em suas definições, já que atualmente o perí­odo de seca não aterroriza mais o produtor. “ Hoje estou muito mais tranqí¼ilo”.
Clóvis afirma com conhecimento, por que hoje serve de exemplo para outros produtores., ele reformou o pasto, formou campineiras em 2011 e 2012 não terá problema com a produção de leite. “Tenho pasto o suficiente para alimentar o gado durante o perí­odo de estiagem” – afirma.

O produtor foi capacitado pela equipe de Transferíªncia de Tecnologia (TT) da Embrapa Agropecuária Oeste, em 2010, quando técnicos usaram sua propriedade como campo experimental, onde foram usadas tecnologias simples e fáceis de serem implantadas para a recuperação de pastagens. Deu tão certo, que este ano o produtor manteve o que aprendeu com os técnicos.

A primeira etapa foi í  correção do solo; a troca da espécie forrageira que estava em estado de degradação (no caso de seu Clávis, a troca foi da Brachiaria decumbens pela Piatã); a segunda foi o aumento da área de plantio de cana-de-açúcar e adotaram o pastejo rotacionado, dividindo a área em 15 piquetes. A divisão facilita o monitoramento da pastagem e do consumo de pastos pelos animais, e conserva o solo.

De abril a outubro, o pastejo nos piquetes onde ocorrem a reforma de pasto oferece alimento o suficiente, desde que haja bom manejo do rebanho.
Como adubos verdes, foram utilizados Crotalária juncea e Crotalaria spectabilis, feijão –guandu que serve como forrageira e alternativa de suplementação alimentar para o gado, além do feijão – de – porco substituindo os adubos quí­micos.

A estratégia foi um sucesso, que no míªs passado, foi montado uma Unidade de Referíªncia no lote do assentado, onde aconteceu a Jornada do Produtor Rural, evento realizado pela Embrapa Agropecuária Oeste, Agraer, Prefeitura Municipal e Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Bataguassu.

Fonte: Melice Sguissardi – Capital News (www.capitalnews.com.br)

Toda reclamação originada das informações contidas no site de eDairy News será submetida à jurisdição dos Tribunais Ordinários do Primeiro Distrito Judicial da Província de Córdoba, República Argentina, sediado na Cidade de Córdoba, com exclusão de qualquer outro local, incluso o Federal.

*

Critérios na moderação de comentários em termos de publicação e Notícias de produtos em todas as suas publicações.

  • No sé considerarán insultos de qualquer tipo em contra de qualquer persona, sea usuario, moderador ó editor. Apenas se aceitar denuncias realizadas com nome e apelido do autor do comentario, previa confirmação de moderador.
  • Críticas destructivas infundadas e gratuitas, expressões de mal gusto, sean ofensivas, racistas ou xenófobas.
  • Hacer SPAM, (Insertar vínculos de páginas web sem links para o tema, correções eletrônicas, etc ...)
  • Comentários que não tem sentido com a nota no setor lácteo.


Top