Casa nova traz oportunidade para agricultores terem o próprio negócio - eDairy News

Casa nova traz oportunidade para agricultores terem o próprio negócio

Nos últimos três anos, a vida dos produtores rurais Renan de Souza, de 25 anos, e Kalyne de Souza, 22, mudou completamente. Eles vivem no município de Ângulo, no Noroeste do Estado, e passaram da condição de empregados para donos do próprio negócio graças a um trabalho integrado do poder público, que começou com a conquista de uma nova moradia rural, em 2013.

Na época, os dois moravam com a filha Nicole, de seis anos, em uma precária casa de madeira. A moradia era cedida pelo proprietário do sítio em que trabalhavam, localizado na área rural do município. “Era uma situação complicada, pois as paredes e o piso eram de madeira bem antiga e estava tudo cedendo já”, conta Kalyne.

O casal foi então escolhido para participar de um projeto de construção de casas rurais na cidade. O trabalho faz parte de uma iniciativa conjunta do Governo do Paraná, com o governo federal e as prefeituras, dentro do Programa Nacional de Habitação Rural. No município, vinte famílias se mudaram para novas residências rurais graças aos projetos.

O programa é destinado ao atendimento de famílias que já residem no campo e possuem renda bruta anual de até R$ 15 mil. Renan e Kalyne se encaixavam nos critérios do programa e receberam subsídios de R$ 25 mil para a construção do imóvel. O financiamento pago pela família limita-se a quatro parcelas anuais de R$ 250.

INDEPENDÊNCIA FINANCEIRA – A mudança não significou apenas mais conforto para a família, mas o primeiro passo para a realização do sonho de ter o próprio negócio. Isso porque o novo lar foi erguido na propriedade rural dos pais de Renan, que autorizaram o projeto, o que aproximou ainda mais a família.

Com a união propiciada pela casa, a família Souza expandiu o negócio familiar, que consiste na produção de leite. Com o auxílio técnico da Emater, eles triplicaram a produção com a aquisição de 10 vacas leiteiras financiadas, passando de cinco para 15 animais, além de novos equipamentos para armazenar o leite e derivados.

“Atualmente nós produzimos cerca de 250 litros de leite por dia, que também é usado para produção de queijo”, conta Renan.

A renda do casal subiu de um para quatro salários mínimos no período. Com o crescimento econômico, eles também fizeram novos investimentos na casa. “Nós construímos uma garagem, uma edícula, fechamos a área de serviço e aumentamos a cozinha”, revela Kalyne.

MORADIAS RURAIS – Desde 2011, mais de 13 mil famílias de pequenos produtores rurais do Paraná receberam novas moradias. O programa é resultado da política de valorização do setor de habitação popular instituído pela atual gestão estadual, que fortaleceu o trabalho da Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar), empresa responsável pela elaboração dos projetos de arquitetura e engenharia.

O órgão também participa das etapas de cadastramento, seleção e acompanhamento social dos agricultores beneficiados, em um trabalho integrado com a Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento e o Instituto Emater.

“O Paraná é hoje um exemplo na execução de políticas públicas de habitação, em especial para o homem do campo”, comenta o presidente da Cohapar, Abelardo Lupion. “Com a oferta de melhores condições de vida, estamos promovendo a dignidade destes trabalhadores e estimulando a permanência deles no meio rural”, conclui.

No caso da família Souza, o programa significou a certeza de um futuro melhor no campo. “A situação já melhorou bastante e temos certeza que daqui para frente vai melhorar ainda mais. A gente nem pensa em mudar para a cidade”, comemora Renan.

https://www.bemparana.com.br/noticia/460561/casa-nova-traz-oportunidade-para-agricultores-terem-o-proprio-negocio

Toda reclamação originada das informações contidas no site de eDairy News será submetida à jurisdição dos Tribunais Ordinários do Primeiro Distrito Judicial da Província de Córdoba, República Argentina, sediado na Cidade de Córdoba, com exclusão de qualquer outro local, incluso o Federal.

*

Critérios na moderação de comentários em termos de publicação e Notícias de produtos em todas as suas publicações.

  • No sé considerarán insultos de qualquer tipo em contra de qualquer persona, sea usuario, moderador ó editor. Apenas se aceitar denuncias realizadas com nome e apelido do autor do comentario, previa confirmação de moderador.
  • Críticas destructivas infundadas e gratuitas, expressões de mal gusto, sean ofensivas, racistas ou xenófobas.
  • Hacer SPAM, (Insertar vínculos de páginas web sem links para o tema, correções eletrônicas, etc ...)
  • Comentários que não tem sentido com a nota no setor lácteo.

Related posts


Top