Cooperativa expõe derivados de umbu e #leite de cabra na Fenagri 2014

Cooperativa expõe derivados de umbu e #leite de cabra na Fenagri 2014

 

Doce de umbu e queijo de leite de cabra. Esses são alguns dos produtos que poderão ser encontrados no estande da Cooperativa de Desenvolvimento Agropecuário e Extrativista do Pontal (Coopontal) na Feira Nacional da Agricultura Irrigada 2014 (Fenagri), que ocorre entre os dias 28 e 31 de maio no Centro de Convenções de Petrolina (PE). Os itens são produzidos nas áreas de sequeiro – ou seja, que não recebem irrigação – do Projeto Pontal, implantado pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) naquela cidade.

“A cooperativa reúne 36 produtores rurais que trabalham principalmente com criação de caprinos e ovinos, coleta e beneficiamento de umbu e cultivo de hortaliças. Os visitantes da Fenagri poderão conhecer alguns dos nossos produtos durante o evento”, afirma a presidente da entidade, Josélia Karina de Amorim. Com o umbu processado pela cooperativa são produzidos doces, geleias, caldas, mousses e polpas; uma parte das frutas é vendida in natura nos períodos de colheita.

Os membros da Coopontal estão entre os beneficiários de um contrato de assistência técnica e extensão rural (Ater) mantido pela Codevasf para suporte a 350 famílias que vivem nas áreas de sequeiro do Projeto Pontal e em seu entorno“. A Codevasf nos ajuda desde a fundação da Coopontal, há dois anos, com incentivo e capacitação. Também recebemos um suporte material importante com máquinas como ensiladeira e trator agrícola”, explica a presidente da cooperativa.

O serviço de Ater está voltado para ações de capacitação técnica e gerencial dos produtores e para a implantação de melhorias em processos de produção, beneficiamento e comercialização. Quatorze profissionais compõem a equipe de assistência técnica: médico veterinário, assistente social, engenheiros agrônomos, técnicos agrícolas, agentes de desenvolvimento e auxiliares.

“Os beneficiados pelo suporte de Ater já possuíam experiência produtiva, mas tinham dificuldades para qualificar essa produção e inserir seus produtos no mercado. Eles precisavam passar por um processo de requalificação para aperfeiçoar a atividade em termos de eficiência produtiva”, avalia Claudio Baltazar Dias, analista em desenvolvimento regional da Codevasf. “Hoje eles já produzem com mais qualidade e têm uma renda maior. Com o tempo eles devem aumentar a produção e atender à demanda que existe pelos produtos com os quais trabalham”, acrescenta Dias.

Projeto de irrigação Pontal

O projeto de irrigação Pontal é abastecido pelo rio São Francisco e possui área total de 29 mil hectares, entre áreas irrigáveis, de sequeiro e de reserva legal. As atividades produtivas da área irrigável do projeto serão executadas pela iniciativa privada por um período de 45 anos – contado a partir de 2013 –, por meio de Concessão de Direito Real de Uso (CDRU). O potencial de geração de empregos do empreendimento é estimado em 20 mil empregos diretos e indiretos.

Por obrigação contratual a concessionária deve destinar pelo menos 25% da área irrigada para a produção de agricultores familiares. Nesse processo de integração de agricultores, as famílias desapropriadas para a implantação do projeto terão prioridade. A empresa concessionária já manifestou à Codevasf o interesse de ocupar quase 100% do espaço irrigável com a agricultura de caráter familiar. Os agricultores serão capacitados, receberão assistência técnica e terão garantia de venda sobre a maior parte da produção.

Um grupo de 139 produtores rurais que já vivia na área do projeto Pontal foi realocado em áreas de sequeiro que somam aproximadamente oito mil hectares, divididos em lotes que variam de 40 a 60 hectares. Esses produtores compõem parte do público que recebe assistência técnica da Codevasf. “Fomos privilegiados. Continuamos a viver na região onde vivíamos e agora temos mais oportunidades. As chances de desenvolvimento eram muito limitadas antes da implantação do projeto de irrigação”, diz a presidente da Coopontal, Josélia Karina de Amorim. A assistência técnica prestada a 350 famílias da região têm mostrado resultados positivos e contribuído para um gradativo incremento na renda dos produtores: a margem de renda bruta por produtor passou de 0,88 salário mínimo mensal em 2012 para 1,49 em 2013.

A equipe de Ater estima em quase 80% a participação da caprinovinocultura na receita agropecuária e extrativista das famílias que recebem o suporte técnico da Codevasf. Para garantir alimento a esses rebanhos, especialmente durante os períodos de estiagem, a equipe tem implantado lotes irrigados de uso coletivo nas áreas de sequeiro para a produção intensiva de forragem. Esses pontos de produção são chamados “pulmões verdes”; até o momento foram implantados cinco deles, que totalizam uma área irrigada de 60 hectares. Nos seis meses inciais de operação dos pulmões, um grupo de 25 criadores alcançou produção de 700 toneladas de forragem para alimentação de seus rebanhos e comercialização de excedentes.

A Codevasf também tem incentivado o desenvolvimento gradual de atividades agropecuárias complementares nas áreas de sequeiro do Pontal, como apicultura. Atualmente dezenas de colmeias estão em fase de implantação na localidade.

Fenagri 2014

A Fenagri é tida como o maior evento de agricultura irrigada da América Latina. A Feira está voltada para a realização de negócios e debates, a transferência de tecnologia e a divulgação das potencialidades do Vale do rio São Francisco. O presidente da Codevasf, Elmo Vaz, participará da cerimônia de abertura do evento.

Fonte:
Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba

 

Toda reclamação originada das informações contidas no site de eDairy News será submetida à jurisdição dos Tribunais Ordinários do Primeiro Distrito Judicial da Província de Córdoba, República Argentina, sediado na Cidade de Córdoba, com exclusão de qualquer outro local, incluso o Federal.

*

Critérios na moderação de comentários em termos de publicação e Notícias de produtos em todas as suas publicações.

  • No sé considerarán insultos de qualquer tipo em contra de qualquer persona, sea usuario, moderador ó editor. Apenas se aceitar denuncias realizadas com nome e apelido do autor do comentario, previa confirmação de moderador.
  • Críticas destructivas infundadas e gratuitas, expressões de mal gusto, sean ofensivas, racistas ou xenófobas.
  • Hacer SPAM, (Insertar vínculos de páginas web sem links para o tema, correções eletrônicas, etc ...)
  • Comentários que não tem sentido com a nota no setor lácteo.

Related posts


Top