ÔĽŅ Importa√ß√£o de leite em p√≥ cai em maio

#Importação de leite em pó cai em maio

O Brasil importou 7,1 mil toneladas de leite em p√≥ (integral e desnatado) em maio deste ano, volume 7,8% menor que no mesmo m√≠¬™s de 2011. No entanto, no acumulado de janeiro a maio a entrada do produto no pa√≠¬≠s somou 41 mil toneladas, ou US$ 160, 4 milh√Ķes, contra as 39 mil toneladas (US$ 145, 5 milh√Ķes) de igual intervalo do ano passado.

A maior parte do leite em p√≥ importado pelo Brasil √© proveniente do Uruguai. Conforme dados do Minist√©rio do Desenvolvimento, Ind√ļstria e Com√©rcio Exterior (MDIC), nos primeiros cinco meses do ano, o volume das importa√ß√Ķes desde o pa√≠¬≠s vizinho cresceu 31,6%.

O leite em p√≥ adquirido do Uruguai tornou-se uma dor de cabe√ßa para o segmento no Brasil. Na avalia√ß√£o de Jorge Rubez, presidente da Leite Brasil, associa√ß√£o nacional dos produtores, “o com√©rcio √© desleal e n√£o pode trazer nenhum benef√≠¬≠cio aos pecuaristas brasileiros”, diz.

Segundo ele, o produtor enfrenta problemas internos suficientes como custos de produ√ß√£o (em m√©dia de 19%) superiores ao aumento de 17% obtido na remunera√ß√£o no ano passado. Entre 2010 e 2011, as exporta√ß√Ķes uruguaias de l√°cteos para o Brasil passaram de US$ 90,8 milh√Ķes para US$ 187,6 milh√Ķes.

O produto entra no mercado brasileiro livremente, enquanto as exporta√ß√Ķes argentinas ao pa√≠¬≠s est√£o sujeitas ao regime de cotas estipuladas em 3,6 mil toneladas mensais. “Negociar com os uruguaios √© quase uma miss√£o imposs√≠¬≠vel”, confessa Jorge Rubez.

O presidente da associa√ß√£o relembra que o setor formou uma comiss√£o h√° tr√≠¬™s meses para reivindicar medidas do governo contra a crescente importa√ß√£o de leite em p√≥ e derivados de leite vindos especialmente do Uruguai. “N√£o somos contra o com√©rcio. S√≥ √© preciso limites”, afirma Rubez.

Fonte: Valor Econ√≠¬īmico

Toda reclama√ß√£o originada das informa√ß√Ķes contidas no site de eDairy News ser√° submetida √† jurisdi√ß√£o dos Tribunais Ordin√°rios do Primeiro Distrito Judicial da Prov√≠ncia de C√≥rdoba, Rep√ļblica Argentina, sediado na Cidade de C√≥rdoba, com exclus√£o de qualquer outro local, incluso o Federal.

*

Crit√©rios na modera√ß√£o de coment√°rios em termos de publica√ß√£o e Not√≠cias de produtos em todas as suas publica√ß√Ķes.

  • No s√© considerar√°n insultos de qualquer tipo em contra de qualquer persona, sea usuario, moderador √≥ editor. Apenas se aceitar denuncias realizadas com nome e apelido do autor do comentario, previa confirma√ß√£o de moderador.
  • Cr√≠ticas destructivas infundadas e gratuitas, express√Ķes de mal gusto, sean ofensivas, racistas ou xen√≥fobas.
  • Hacer SPAM, (Insertar v√≠nculos de p√°ginas web sem links para o tema, corre√ß√Ķes eletr√īnicas, etc ...)
  • Coment√°rios que n√£o tem sentido com a nota no setor l√°cteo.

Related posts

ÔĽŅ
Top