Milho: Mercado recua pelo 4º dia consecutivo em Chicago com foco na

Milho: Mercado recua pelo 4º dia consecutivo em Chicago com foco na safra dos EUA e na China

Pelo quarto dia seguido, os futuros do milho negociados na Bolsa de Chicago (CBOT) recuaram. Nesta segunda-feira (18), os futuros do cereal ampliaram as desvalorizações e finalizaram o dia com quedas de mais de 5 pontos, com perdas de mais de 1,4%. O vencimento julho/18 era cotado a US$ 3,56 por bushel, enquanto o dezembro/18 operava a US$ 3,77 por bushel.

Conforme informações do site internacional Farm Futures, “as cotações continuam caindo diante da abundância de chuvas no Meio-Oeste no curto prazo. E tivemos venda técnica adicionada à pressão descendente”. Com isso, as cotações registraram mais um dia de perdas no mercado internacional.

Ainda no final da tarde desta segunda-feira, o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) reporta seu novo boletim de acompanhamento de safras. A expectativa por parte dos traders é que o órgão aponte uma queda de 1% no índice de lavouras em boas ou excelentes condições, para 76%.

Outro fator que segue no radar dos traders é a crescente tensão comercial entre os Estados Unidos e a China. Na semana anterior, o governo americano reportou tarifas de importação para produtos chineses. Em sequência, a nação asiática, em retaliação, também divulgou tarifas aos produtos americanos.

No caso do milho, os investidores também estão preocupados com a relação comercial com o México. “Essas preocupações comerciais poderiam atingir US$ 4 bilhões em importações anuais de milho e soja do México”, informou a Reuters internacional.

Ainda nesta segunda-feira, o USDA indicou os embarques semanais de milho em 1.668,8 milhão de toneladas na semana encerrada no dia 14 de junho. O volume ficou acima do indicado na semana anterior, de 1.410,5 milhão de toneladas.

No acumulado da temporada, os embarques do milho somam 42.640,062 milhões de toneladas. No mesmo período do ano anterior, o número estava em 46.616,326 milhões de toneladas.

Mercado brasileiro

O dia foi de poucas movimentações aos preços do milho praticados no mercado doméstico. Conforme levantamento do economista do Notícias Agrícolas, André Lopes, em São Gabriel do Oeste (MS), a saca cedeu 6,90% e encerrou o dia a R$ 27,00. Em Campinas (SP), a perda ficou em 4,69%, com a saca a R$ 40,60.

Na região de Campo Novo do Parecis (MT), a perda ficou em 2,08%, com a saca do cereal a R$ 23,50. Em Tangará da Serra (MT), o preço recuou 1,96%, com a saca a R$ 25,00. Já em Rio do Sul (SC), a cotação caiu 1,30% e a saca fechou a segunda-feira a R$ 38,00.

Os negócios permanecem travados no mercado brasileiro em meio ao impasse no tabelamento do frete. A situação permanece sem desfecho e os produtores rurais seguem preocupados, uma vez que em muitas regiões a soja negociada ainda não foi escoada e não há espaço nos armazéns para a estocagem da safrinha.

Leia mais:

>> Tabelamento de fretes já mantém mercado de grãos travado por mais de um mês

“Assim, parte dos vendedores consultados pelo Cepea tenta escoar os estoques, visando liberar espaço para a entrada da segunda safra. Muitos compradores, no entanto, estão afastados do mercado, à espera do avanço da colheita”, reportou o Cepea em seu comentário diário.

Dólar

A moeda norte-americana encerrou o dia a R$ 3,7400 na venda, com alta de 0,27%. “O câmbio subiu em meio a temores de guerra comercial entre Estados Unidos e China e de olho no quadro político doméstico, a poucos meses da eleição presidencial bastante indefinida”, informou a Reuters.

https://www.noticiasagricolas.com.br/noticias/milho/215972-milho-mercado-recua-pelo-4-dia-consecutivo-em-chicago-com-foco-na-safra-dos-eua-e-na-china.html#.Wyj0fqczbIV

Tags:
Toda reclamação originada das informações contidas no site de eDairy News será submetida à jurisdição dos Tribunais Ordinários do Primeiro Distrito Judicial da Província de Córdoba, República Argentina, sediado na Cidade de Córdoba, com exclusão de qualquer outro local, incluso o Federal.

*

Critérios na moderação de comentários em termos de publicação e Notícias de produtos em todas as suas publicações.

  • No sé considerarán insultos de qualquer tipo em contra de qualquer persona, sea usuario, moderador ó editor. Apenas se aceitar denuncias realizadas com nome e apelido do autor do comentario, previa confirmação de moderador.
  • Críticas destructivas infundadas e gratuitas, expressões de mal gusto, sean ofensivas, racistas ou xenófobas.
  • Hacer SPAM, (Insertar vínculos de páginas web sem links para o tema, correções eletrônicas, etc ...)
  • Comentários que não tem sentido com a nota no setor lácteo.

Related posts


Top