#MS lança projeto de R$ 70 milhões para dobrar produção de leite

#MS lança projeto de R$ 70 milhões para dobrar produção de leite

Secretária estadual Tereza Cristina discursa durante lançamento do programa “Leite Forte”; objetivo é fazer com que produção atinja 2 milhões de litros por dia.

Com a meta audaciosa de dobrar a produção diária de leite no Estado e investimento de R$ 70 milhões, o governador André Puccinelli lançou nesta manhã (4) o projeto Desenvolvimento da Bacia Leiteira na Região Central de MS – Leite Forte.

O objetivo é qualificar e ampliar a produção de leite, que na maior parte é feita por pequenos produtores e de forma informal, o que prejudica a qualidade do produto final.

“Isso é muito importante porque o leite é um alimento destinado principalmente as crianças”, frisa a secretária Seprotur (Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agrário, da Produção e Turismo), Tereza Cristina.

Segundo a secretária, a produção média por vaca no Estado é de 2,3 litros. â€œí‰ uma produção ridí­cula”, frisa. Ao longo de tríªs anos, o projeto quer aumentar para 12 litros a produção diária de cada vaca.

Com isso, a produção diária de todo o Estado dobraria, passando de 1 milhão para 2 milhões de litros.

Inicialmente, o projeto vai contemplar 1.500 produtores em 17 municí­pios – Anastácio, Aquidauana, Bandeirantes, Camapuã, Campo Grande, Corguinho, Dois Irmãos do Buriti, Jaraguari, Nova Alvorada do Sul, Nioaque, Ribas do Rio Pardo, Rio Brilhante, Rio Negro, Rochedo, São Gabriel do Oeste, Sidrolí¢ndia e Terenos.

De acordo com o Governo, a expectativa é estender o projeto aos demais municí­pios do Estado após a consolidação da primeira etapa. O investimento de parceiros e produtores ao longo dos tríªs anos será de cerca de R$ 70 milhões incrementando a atividade em R$ 175 milhões ao longo deste perí­odo.

Estão sendo capacitados 50 técnicos, que prestarão assistíªncia técnica e gerencial aos produtores beneficiados, que também participarão de capacitação com 40 horas/aula de curso.

Além da preocupação com a qualificação e a produção, a secretária informou que o projeto irá mapear os pontos crí­ticas nas estradas utilizadas para escoamento da produção. “Queremos melhorar o transporte do leite, mas isso será feito ao longo dos anos”, explica.

Convíªnio com o Ministério da Integração e Agraer também vai distribuir 500 kits de irrigação para melhor as condições de produtividade nas propriedades rurais.

Incremento – Como incremento no setor, Tereza também frisa a importí¢ncia de industrias para fomentar a atividade. Ela destaca empresa de laticí­nio que foi instalada em Terenos e hoje trabalha com 240 mil litros de leite por dia, mas tem capacidade para chegar a 1 milhão de litros por dia, o que equivale a quase toda a atual produção diária do Estado.

“A chegada dessa empresa ajuda a fomentar o setor e aumenta a demanda. Nosso objetivo é também que o Estado tenha condição de exportar o leite com qualidade”, frisa.

A presidente do Sindicato das indústrias de Laticí­nio do Estado, Milene Nantes, ainda lembra que o setor enfrenta perí­odo de baixa produtividade, entre maio e setembro, por conta das condições climáticas, mas que na outras épocas os produtores chegam a ficar com leite sobrando.
Fonte: Campo Grande News

Toda reclamação originada das informações contidas no site de eDairy News será submetida à jurisdição dos Tribunais Ordinários do Primeiro Distrito Judicial da Província de Córdoba, República Argentina, sediado na Cidade de Córdoba, com exclusão de qualquer outro local, incluso o Federal.

One Comment;

  1. Ronei Amarila said:

    Boa tarde

    Tenho uma pequena proprie edade em Maracaju/MS, gostaria de fazer parte do projeto, qual a prosibilidade de estender para Maracaju?

*

Critérios na moderação de comentários em termos de publicação e Notícias de produtos em todas as suas publicações.

  • No sé considerarán insultos de qualquer tipo em contra de qualquer persona, sea usuario, moderador ó editor. Apenas se aceitar denuncias realizadas com nome e apelido do autor do comentario, previa confirmação de moderador.
  • Críticas destructivas infundadas e gratuitas, expressões de mal gusto, sean ofensivas, racistas ou xenófobas.
  • Hacer SPAM, (Insertar vínculos de páginas web sem links para o tema, correções eletrônicas, etc ...)
  • Comentários que não tem sentido com a nota no setor lácteo.

Related posts


Top