ÔĽŅ Perda de setores de leite, frutas, aves e su√≠nos com greve √© de R$ 4,28 bi

Perda de setores de leite, frutas, aves e suínos com greve é de R$ 4,28 bi

O prejuízo pode ser ainda maior, uma vez que foram retirados do cálculo os dados de difícil verificação, como os impactos futuros e indiretos

Rio de Janeiro ‚Äď A¬†greve¬†dos caminhoneiros causou perdas iniciais diretas de R$ 4,28 bilh√Ķes nos setores de leite, frutas, aves e su√≠nos, segundo c√°lculos do Instituto de Pesquisa Econ√īmica Aplicada (Ipea).

As informa√ß√Ķes foram coletadas com associa√ß√Ķes de produtores e com a Confedera√ß√£o da¬†Agricultura e Pecu√°ria¬†do Brasil (CNA).

O preju√≠zo pode ser ainda maior, uma vez que foram retirados do c√°lculo os dados de dif√≠cil verifica√ß√£o, como os impactos futuros e indiretos. ‚ÄúSe voc√™ somar as perdas iniciais diretas, chega a um valor de R$ 4,28 bilh√Ķes s√≥ de perdas diretas iniciais. Ou seja, uma an√°lise conservadora‚ÄĚ, ressaltou Jos√© Ronaldo de Castro Souza J√ļnior, diretor de Estudos e Pol√≠ticas Macroecon√īmicas do Ipea.

‚ÄúA CNA disse que houve descarte de 289 milh√Ķes de litros de leite, pegamos o valor m√©dio e estimamos a perda de R$ 360 milh√Ķes para o segmento‚ÄĚ, explicou.

Segundo o Ipea, a atividade agropecuária foi uma das mais afetadas pela greve dos caminhoneiros, que durou 11 dias. Produtores de animais tiveram que reduzir o rebanho por falta de ração, enquanto hortaliças e frutas acabaram descartadas porque não conseguiram chegar aos centros de distribuição, destaca o estudo.

Os produtores de aves e su√≠nos tiveram preju√≠zos diretos de R$ 3 bilh√Ķes, considerando perdas com a comercializa√ß√£o no mercado dom√©stico e exporta√ß√Ķes, animais mortos e custos log√≠sticos.

O setor deixou de exportar 120 mil toneladas de carne de aves e su√≠nos, uma perda de US$ 350 milh√Ķes para a balan√ßa comercial brasileira no per√≠odo.

Entre os produtores de leite, a coleta foi completamente interrompida nas maiores empresas de laticínio durante cinco dias, o que levou os produtores a diminuírem a oferta de alimento às vacas.

De acordo com o Ipea, a produção média de leite por vaca levará de um a dois meses para ser normalizada, mas o processo industrial de fabricação de derivados lácteos pode ser comprometido por um tempo maior.

‚ÄúAl√©m de se restabelecer o fornecimento de mat√©ria-prima, leite, h√° a necessidade de retomada do fluxo de abastecimento de produtos para higieniza√ß√£o de m√°quinas e equipamentos, embalagens e transporte de produtos acabados at√© o mercado consumidor. A estimativa de algumas ind√ļstrias do setor √© que esse processo demore um m√™s para acontecer, o que dever√° afetar diretamente os pre√ßos do leite e derivados no mercado dom√©stico‚ÄĚ, ressalta a nota do Ipea.

As perdas na produ√ß√£o de frutas e hortali√ßas foram estimadas em R$ 920 milh√Ķes, considerando as mercadorias descartadas nas estradas e no campo, de acordo com dados da Associa√ß√£o Brasileira dos Produtores Exportadores de Frutas e Derivados (Abrafrutas). As culturas mais afetadas foram as de mam√£o, manga, uva, goiaba e acerola.

Durante a paralisa√ß√£o, os produtores de carne bovina tiveram que segurar o gado no pasto por conta da interrup√ß√£o do abate nos frigor√≠ficos. O setor deixou de exportar 40 mil toneladas de gado durante a greve, o equivalente a US$ 170 milh√Ķes, diz o Ipea.

“A capacidade de repassar todos os custos para as demais etapas da cadeia dependerá da estrutura de mercado e governança de cada uma delas, já que possuem mecanismos de transmissão diferenciados. O que se observou durante a greve é que, em quase todos os segmentos, o produtor assumiu o prejuízo. Serão necessários mais alguns dias ou semanas para dimensionar os impactos reais diretos, como o fornecimento de insumos, e indiretos, como os problemas fitossanitários.

Tamb√©m ser√° confirmado nos pr√≥ximos dias se houve algum processo de desorganiza√ß√£o da cadeia produtiva‚ÄĚ, conclu√≠ram os pesquisadores do Ipea respons√°veis pela nota t√©cnica.

Toda reclama√ß√£o originada das informa√ß√Ķes contidas no site de eDairy News ser√° submetida √† jurisdi√ß√£o dos Tribunais Ordin√°rios do Primeiro Distrito Judicial da Prov√≠ncia de C√≥rdoba, Rep√ļblica Argentina, sediado na Cidade de C√≥rdoba, com exclus√£o de qualquer outro local, incluso o Federal.

*

Crit√©rios na modera√ß√£o de coment√°rios em termos de publica√ß√£o e Not√≠cias de produtos em todas as suas publica√ß√Ķes.

  • No s√© considerar√°n insultos de qualquer tipo em contra de qualquer persona, sea usuario, moderador √≥ editor. Apenas se aceitar denuncias realizadas com nome e apelido do autor do comentario, previa confirma√ß√£o de moderador.
  • Cr√≠ticas destructivas infundadas e gratuitas, express√Ķes de mal gusto, sean ofensivas, racistas ou xen√≥fobas.
  • Hacer SPAM, (Insertar v√≠nculos de p√°ginas web sem links para o tema, corre√ß√Ķes eletr√īnicas, etc ...)
  • Coment√°rios que n√£o tem sentido com a nota no setor l√°cteo.

Related posts

ÔĽŅ
Top