#Portalacteo: MG: Pesquisa aponta satisfação de laticí­nios com o programa SMQL – eDairyNews Últimas notícias
Sin categoría |12 septiembre, 2012

Indústria | #Portalacteo: MG: Pesquisa aponta satisfação de laticí­nios com o programa SMQL

Com o objetivo de avaliar a eficáciado treinamento promovido pelo programa Sistema Mineiro de Qualidade do Leite (SMQL), o Polo…

Com o objetivo de avaliar a eficáciado treinamento promovido pelo programa Sistema Mineiro de Qualidade do Leite (SMQL), o Polo de Excelíªncia de Leite e Derivados realizou uma pesquisa de satisfaçãocom alguns laticí­nios participantes da primeira fase da iniciativa.

A avaliação foi realizadadurante o míªs de agosto, com um grupo de amostragem formado por oito laticí­niose dois escritórios da EMATER-MG, escolhidos aleatoriamente entre as indústrias que implantaram o treinamento. Os entrevistados deram notas de 1 a 10 para nove questões objetivas. As perguntas foram respondidas pelo técnico, que participou efetivamente de todo o processo de implantação do programa nas fazendas.

Entre os itens avaliados estavam os principais pontos abordados pelo SMQL, tais como: a redução no número de Contagem Bacteriana Total (CBT) e Contagem de Células Somáticas (CCS) no leite produzido, a polí­tica do pagamento por qualidade do leite, a difusão dos ensinamentos para os produtores rurais etécnicos envolvidos na capacitação.

“Com os resultados, percebemos que o programa se mostrou eficiente nos pontos crí­ticos onde gostarí­amos que ele atuasse. Querí­amos que houvesse uma mudança não apenas do produtor, mas da cadeia leiteira inteira. E os resultados mostram essa conscientização de todosos elos”, declara o coordenador da iniciativa, Abel Leocádio Fernandes.

Ainda segundo Fernandes, a pesquisa servirá para discutirações e traçar estratégias para o desenvolvimento da segunda etapa do SMQL, já em execução no Norte e Nordeste de Minas Gerais. “Nós iremos promover reuniões com os laticí­nios e instituições parceiras envolvidas no programa, para apresentar os resultados e definirmos ações para aumentar o ní­vel deexcelíªncia do treinamento”, ressalta.

Principais resultados
A pesquisa mostra que ositens avaliados obtiveram uma média de 80% de satisfação dos entrevistados, sendoque em dois quesitos – qualidade do treinamento e qualificação dosprofissionais envolvidos na capacitação – o í­ndice chega a 90%. “Os números sãosatisfatórios, mas ainda há pontos que precisamos melhorar. Por outro lado, tivemos algumas surpresas agradáveis”, analisa o coordenador do programa.

Entre as surpresas citadas por Fernandes está a quantidade de técnicos e produtores rurais treinados pelo SMQL. A expectativa era de um a dois técnicos por laticí­nio, enquanto que o número de fornecedores esperado era de 10 a 15. A pesquisa aponta, no entanto, que aparticipação dos profissionais foi superior ao estimado. Entre os entrevistados,foram 32 técnicos e 290 produtores rurais envolvidos.

Outro ponto positivo reveladopela avaliação foi a melhoria na qualidade do leite produzido, com aimplantação do SMQL. A maioria dos entrevistados respondeu que houve redução nonúmero de Contagem Bacteriana Total (CBT) e Contagem de Células Somáticas (CCS) presentes no leite. Além de relatarem que o programa também ajudou na questãoda limpeza, no rendimento e na durabilidade dos produtos nas prateleiras, noaprimoramento profissional e na qualificação dos técnicos.

Questionados sobre o interesse em repassar as técnicas empregadas pelo SMQL, todos os entrevistados responderam positivamente. Dois laticí­nios relatam, inclusive, que já estão difundindo as práticas adotadas para outros produtores rurais. “Existe umavontade grande por parte dos laticí­nios em multiplicar o conhecimento. Isso mostra que eles não só colocaram em prática tudo o que aprenderam, como setornaram agente difusor da iniciativa”, declara o coordenador do SMQL.

No quesito pagamento porqualidade do leite, a pesquisa revela que 80% dos entrevistados já adotam apolí­tica da bonificação. Em alguns laticí­nios, a prática vem sendo executada hámais de cinco anos. “O SMQL não precisa impor aos laticí­nios í  adoção dosistema de pagamento por qualidade do leite. As próprias indústrias estãopercebendo que isso é uma questão de mercado”, explica Fernandes.

Para ter acesso ao relatório da pesquisa, basta acessar a página do Polo do Leite: www.polodoleite.com.br

Fonte: Polo do Leite

Qualquer reivindicação decorrente das informações contidas no site eDairyNews será submetida à jurisdição dos Tribunais Ordinários do Primeiro Distrito Judicial da Província de Córdoba, República Argentina, com sede na cidade de Córdoba, com exclusão de qualquer outra jurisdição, incluindo a Federal.

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Notas relacionadas