O preço do leite pago ao produtor aumentou 5,3% de fevereiro para março, fechando a R$ 1,0745 o litro na “média Brasil” líquida. De acordo com pesquisadores do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da Esalq/USP, o incremento se deve à redução precoce da oferta no campo.

A alta representa um avanço de R$ 0,05 por litro. A “média Brasil” não considera frete e impostos e se refere a Bahia, Goiás, Minas Gerais, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Esse foi o segundo mês consecutivo de valorização. Desde janeiro, a recuperação acumulada no preço ao produtor chega a 6,7%. No entanto, o valor médio de março está 10,6% abaixo do registrado no mesmo período de 2017.

De acordo com pesquisadores, a produção de leite se eleva tipicamente entre outubro e março. No entanto, os baixos preços no final do ano passado desestimularam os produtores, que investiram menos ou saíram da atividade. Além disso, a recente alta do concentrado encareceu a produção.

Em fevereiro, o Índice de Captação de Leite (ICAP-L) recuou 1,22% na “média Brasil”. Desde dezembro, a queda acumulada é de 3,14%. Muitos agentes já consideram um adiantamento da entressafra deste ano e, com isso, esperam que a oferta diminua ainda mais nos próximos meses. Ao mesmo tempo, a demanda continua dando sinais de recuperação, ao passo que os preços dos derivados lácteos também se recuperam. /Agências

https://www.dci.com.br/agronegocios/preco-pago-ao-produtor-de-leite-sobe-5-3-1.695496