Produção de #leite da UE deve crescer 1% em 2014, avalia USDA

Produção de #leite da UE deve crescer 1% em 2014, avalia USDA

 

São Paulo, 22 – A produção de leite pela União Europeia (UE) deve crescer 1% em 2014, na comparação com 2013, para 146,25 milhões de toneladas, projetou o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA). De acordo com a entidade, demandas doméstica e externa fortalecidas, preços atrativos e condições climáticas favoráveis tendem a contribuir para esse incremento.

Conforme o USDA, as exportações devem aumentar em 4,8%, para 440 mil toneladas. O rebanho de gado leiteiro também será maior neste ano, com 23,5 milhões de cabeças (+1,3%).

Ainda segundo a agência do governo norte-americano, a China é o principal comprador do leite produzido pelos 28 países membros da UE. Em 2013, as vendas ao gigante asiático foram 80% maiores. Nos dois primeiros meses de 2014, as exportações à China aumentaram em 6% frente igual período do ano passado.

Quanto ao leite em pó, o USDA estima que a produção será 2,2% superior em 2014, para 700 mil toneladas. As vendas ao exterior do produto devem ser 4,3% maiores, com 390 mil litros.

Na UE, a produção de leite é regida por um regime de cotas. Como praticamente todo o produto é consumido internamente, essas cotas servem para evitar um eventual choque de oferta, o que prejudicaria os preços do alimento. Países que ultrapassam as cotas têm de pagar imposições suplementares.

Fonte: G1

 

Toda reclamação originada das informações contidas no site de eDairy News será submetida à jurisdição dos Tribunais Ordinários do Primeiro Distrito Judicial da Província de Córdoba, República Argentina, sediado na Cidade de Córdoba, com exclusão de qualquer outro local, incluso o Federal.

*

Critérios na moderação de comentários em termos de publicação e Notícias de produtos em todas as suas publicações.

  • No sé considerarán insultos de qualquer tipo em contra de qualquer persona, sea usuario, moderador ó editor. Apenas se aceitar denuncias realizadas com nome e apelido do autor do comentario, previa confirmação de moderador.
  • Críticas destructivas infundadas e gratuitas, expressões de mal gusto, sean ofensivas, racistas ou xenófobas.
  • Hacer SPAM, (Insertar vínculos de páginas web sem links para o tema, correções eletrônicas, etc ...)
  • Comentários que não tem sentido com a nota no setor lácteo.

Related posts


Top