#Produção leiteira em Cacoal, RO, aumenta com a chegada da chuva – eDairyNews Últimas notícias
Sin categoría |17 octubre, 2012

Indústria | #Produção leiteira em Cacoal, RO, aumenta com a chegada da chuva

Ordenha caiu de 8 para quatro litros diários durante a estiagem.Perí­odo prejudicou em 70% a economia da região, segundo Emater….

Ordenha caiu de 8 para quatro litros diários durante a estiagem.Perí­odo prejudicou em 70% a economia da região, segundo Emater.

Em 2012, os pequenos produtores leiteiros de Cacoal, RO, sentiram no bolso a falta de chuva dos tríªs últimos meses – julho, agosto e setembro. A queda na produção chegou a 50%. Em outubro, míªs em que começa o perí­odo chuvoso, produtores como Norberto Lagaça já começa a perceber uma evolução da ordenha.

Há 10 anos trabalhando com produção leiteira, o trabalhador rural diz que a estiagem deste ano foi difí­cil. “Com a falta de chuva, sofremos sem o pasto. Tive queda na produção de leite de até 50% na produção. As vacas que produziam até oito litros por dia passaram a dar, no máximo, quatro litros”. diz Lagaça, que afirma produzir 320 litros por dia, na época de chuva.
Produção leiteira começa a ser normalizada com chegada do perí­odo chuvoso (Foto: Paula Casagrande/G1)Produção leiteira começa a ser normalizada
(Foto: Paula Casagrande/G1)

O tanque de armazenagem e refrigeração de leite da propriedade rural tem capacidade para até mil litros e passou os últimos tríªs meses desligado.

O mí­nimo para manter o investimento funcionando seria 100 litros. “Como a produção não era suficiente, tive que desativar o tanque, mas já foi reativado este míªs”, conta o produtor.

Para suportar o perí­odo, Floriano Noibal empreendeu a técnica de silagem. “Tive que comprar pés de milho de um vizinho, misturar com soja e dar para as vacas comerem, pois não tinha pasto. Foi uma forma de enfrentar o tempo seco sem zerar a produção”, explica Noibal.

Segundo Wesley Gama, extensionista rural da Associação de Assistíªncia Técnica e Extensão Rural do Estado de Rondí´nia (Emater), a estiagem deste ano prejudicou em 70% a economia da região. “A agropecuária, em especial a produção leiteira, é carro-chefe na economia municipal. Quando uma atividade primária como a produção de leite vai mal, a economia também sente”.

Segundo informações do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), o ní­vel pluviométrico dos meses julho, agosto e setembro, somados, foi menor que 50 milí­metros. Em outubro, até hoje já choveu no municí­pio 165,6 milí­metros.

Qualquer reivindicação decorrente das informações contidas no site eDairyNews será submetida à jurisdição dos Tribunais Ordinários do Primeiro Distrito Judicial da Província de Córdoba, República Argentina, com sede na cidade de Córdoba, com exclusão de qualquer outra jurisdição, incluindo a Federal.

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Notas relacionadas