Produtores de leite buscam aumento da competitividade de preços

# Produtores de leite buscam aumento da competitividade de preços

Pecuaristas querem margem de lucro mais vantajosa no Rio Grande do Sul
Produtores de leite do Rio Grande do Sul enfrentam o desafio de conseguir com que o produto tenha preços competitivos, de acordo com o Sindicato dos Laticí­nios do Estado. Segundo a entidade, mais de 90% dos municí­pios são produtores de leite. A atividade injeta R$ 5 bilhões no Produto Interno Bruto (PIB) gaúcho.

Para obter um alimento de alto padrão, no entanto, os gastos não são baratos. Cada litro custa, em média, R$ 0,65, investidos em cuidados com os animais e alimentação. De março a maio deste ano, o preço do leite registrou queda de 1,07% no Rio Grande do Sul. O litro do produto é vendido a R$ 0,75, deixando a margem de lucro em R$ 0,10.

A queda é reflexo da competitividade no mercado internacional, segundo a entidade. Nos cinco primeiros meses de 2012, as importações cresceram 30%. Em paí­ses como Argentina e Uruguai, há menos impostos e mais subsí­dios do governo. O resultado é um preço altamente competitivo.

Representantes do setor avaliam alternativas para diminuir o custo de produção, sem alterar a qualidade do leite. O governo do Estado prevíª a implantação de um plano para consolidação do setor lácteo do Rio Grande do Sul nos próximos meses.
http://pecuaria.ruralbr.com.br

Toda reclamação originada das informações contidas no site de eDairy News será submetida à jurisdição dos Tribunais Ordinários do Primeiro Distrito Judicial da Província de Córdoba, República Argentina, sediado na Cidade de Córdoba, com exclusão de qualquer outro local, incluso o Federal.

*

Critérios na moderação de comentários em termos de publicação e Notícias de produtos em todas as suas publicações.

  • No sé considerarán insultos de qualquer tipo em contra de qualquer persona, sea usuario, moderador ó editor. Apenas se aceitar denuncias realizadas com nome e apelido do autor do comentario, previa confirmação de moderador.
  • Críticas destructivas infundadas e gratuitas, expressões de mal gusto, sean ofensivas, racistas ou xenófobas.
  • Hacer SPAM, (Insertar vínculos de páginas web sem links para o tema, correções eletrônicas, etc ...)
  • Comentários que não tem sentido com a nota no setor lácteo.

Related posts


Top