# Produtores de leite usam farelo de canola para alimentar o gado

# Produtores de leite usam farelo de canola para alimentar o gado

Produto é usado na alimentação das vacas. Região sudoeste do Paraná deve produzir tríªs mil toneladas de canola.

As indústrias de óleo e os produtores de leite descobriram no farelo de canola uma fonte de alimento mais barata para o gado. As flores deixam os campos amarelados. Das plantas saem os grãos para a produção de óleo.

A região sudoeste do Paraná deve produzir esse ano tríªs mil toneladas de canola. Além da indústria de óleo, os produtores de leite também estão de olho nessa lavoura.

O grão de canola produzido no sudoeste vai para Candoi, na região central do estado, onde é transformado em óleo vegetal, usado para cozinhar. Depois da extração do óleo, sobra o farelo, que volta para os produtores da região e é usado na alimentação das vacas.

Há tríªs anos, o produtor Ariovaldo Gavenda, de Marmeleiro, troca aos poucos o farelo de soja pelo farelo de canola. Ele diz que a principal vantagem é o preço. Enquanto um quilo de farelo de soja custa uma média de R$ 1, um quilo de farelo de canola sai por R$ 0,60. Para ele, houve uma redução de custos que chega a R$ 1,2 mil por míªs.

O produtor Getulimar da Silveira, que também é veterinário, usa o farelo de canola misturado í  ração. Ele explica que, mesmo tendo uma quantidade menor de proteí­na, compensa usar o farelo de canola.
Fonte: Globo Rural

Toda reclamação originada das informações contidas no site de eDairy News será submetida à jurisdição dos Tribunais Ordinários do Primeiro Distrito Judicial da Província de Córdoba, República Argentina, sediado na Cidade de Córdoba, com exclusão de qualquer outro local, incluso o Federal.

*

Critérios na moderação de comentários em termos de publicação e Notícias de produtos em todas as suas publicações.

  • No sé considerarán insultos de qualquer tipo em contra de qualquer persona, sea usuario, moderador ó editor. Apenas se aceitar denuncias realizadas com nome e apelido do autor do comentario, previa confirmação de moderador.
  • Críticas destructivas infundadas e gratuitas, expressões de mal gusto, sean ofensivas, racistas ou xenófobas.
  • Hacer SPAM, (Insertar vínculos de páginas web sem links para o tema, correções eletrônicas, etc ...)
  • Comentários que não tem sentido com a nota no setor lácteo.

Related posts


Top