ÔĽŅ #Queijo t√≠pico vira produto de exporta√ß√£o da Ilha de Maraj√≥

#Queijo típico vira produto de exportação da Ilha de Marajó

 

O queijo de leite de b√ļfala √© um patrim√īnio cultural da Ilha de Maraj√≥, no Par√°. Produzido h√° 200 anos seguindo uma t√©cnica tradicional passada de gera√ß√£o a gera√ß√£o, √© conhecido e apreciado em todo o estado como um produto artesanal de alta qualidade, mas at√© o ano passado n√£o podia ser vendido fora da ilha por causa de restri√ß√Ķes impostas pela legisla√ß√£o sanit√°ria brasileira. Essa situa√ß√£o come√ßou a mudar em 2013, quando a comercializa√ß√£o no estado do Par√° foi liberada, e agora as centen√°rias queijarias da Ilha de Maraj√≥ querem conquistar o Brasil e o mundo.

Como √© feito com leite n√£o pasteurizado, o queijo do Maraj√≥ tem que passar por uma rigorosa fiscaliza√ß√£o sanit√°ria para poder ser comercializado fora de sua √°rea de produ√ß√£o, o que impedia as queijarias locais de venderem para fora da ilha. Para contornar essa situa√ß√£o, uma for√ßa-tarefa formada por produtores, pelo Sebrae, pela Secretaria de Estado de Agricultura do Par√° (Sagri-PA) e pela Ag√™ncia de Defesa Agropecu√°ria do Estado do Par√° (Adepar√°) elaborou o Protocolo de Boas Pr√°ticas para os Queijos de B√ļfala do Maraj√≥.

O documento estabelece crit√©rios m√≠nimos de boas pr√°ticas na produ√ß√£o do leite e do queijo da Ilha de Maraj√≥, o que inclui ordenha das b√ļfalas e produ√ß√£o, armazenamento e transporte do produto. A partir desse protocolo e da lei n¬ļ 7565/2011, que trata dos produtos artesanais no Par√°, a Adepar√° lan√ßou, em mar√ßo do ano passado, a portaria 418/2013, que regulamenta a produ√ß√£o e comercializa√ß√£o no estado do Par√° do queijo do Maraj√≥, como o produto √© popularmente conhecido.

A abertura do mercado estadual j√° est√° tendo impacto na economia da ilha. ‚ÄúTem queijarias que produziam 25 kg por dia e agora j√° produzem 60 kg/ dia‚ÄĚ, afirma P√©ricles Diniz Ferreira de Carvalho, analista t√©cnico da unidade de agroneg√≥cio do Sebrae Par√°. Antes da regulamenta√ß√£o, o pre√ßo do quilo ficava em torno de R$ 24 para o consumidor, sendo que o produtor vendia para o atravessador por R$ 20/kg e seu custo de produ√ß√£o girava em torno de R$ 13/kg. ‚ÄúHoje, o produtor negocia direto com os clientes, em sua maioria restaurantes, padarias e hot√©is, e o pre√ßo chega a R$ 32/kg, o que representa um lucro melhor para o produtor, j√° que o valor do custo de produ√ß√£o continua semelhante‚ÄĚ, conta Haroldo Palheta, presidente da Associa√ß√£o dos Produtores de Leite e Queijo do Maraj√≥, que aprendeu seu of√≠cio diretamente com o bisav√ī.

publicidade

A regulamenta√ß√£o, ali√°s teve impacto tanto econ√īmico quanto motivacional. ‚ÄúAl√©m do fator emocional e o orgulho do produtor em ver o seu queijo legalizado, o produtor sente que agora existe a possibilidade real de aumentar sua renda com a legaliza√ß√£o do queijo‚ÄĚ, afirma Palheta.

De olho no futuro
De acordo com n√ļmeros do Sebrae, hoje seis produtores j√° est√£o registrados para produzir o queijo de maneira regular. Ainda √© pouco, tendo em conta que existem 60 queijarias na Ilha de Maraj√≥. O plano √© que com o tempo a regulariza√ß√£o aumente, j√° que ela √© mais vantajosa para o produtor, que lucra mais com a venda do produto, lida com o consumidor final e pode aumentar a empresa, contratar mais gente e aumentar a produ√ß√£o. ‚ÄúAgora os produtores conseguem financiamento porque o neg√≥cio √© legal. A economia gira mais forte com a regulariza√ß√£o do queijo‚ÄĚ, defende Carvalho.

Agora, os produtores marajoaras querem conquistar o mercado nacional e, quem sabe, o internacional. O primeiro passo j√° foi dado, com o envio ao Minist√©rio da Agricultura, Pecu√°ria e Abastecimento de um pedido de regulariza√ß√£o do queijo em todo o Brasil. ‚ÄúCom a obten√ß√£o da autoriza√ß√£o para com√©rcio nacional, o produto passa a ser pass√≠vel de exporta√ß√£o. Na realidade, os crit√©rios de exporta√ß√£o s√£o impostos pelos pa√≠ses importadores, ent√£o o tem que ser analisado conforme o caso‚ÄĚ, esclarece Marcia Batista Penna, m√©dica veterin√°ria e gerente de Padroniza√ß√£o, Certifica√ß√£o e Fiscaliza√ß√£o de Produtos Artesanais da Adepar√°.

Animados com a possibilidade de vender para o exterior, os queijeiros marajoaras j√° solicitaram ao Instituto Nacional de Propriedade Industrial (Inpi) o registro de denomina√ß√£o de origem. Com isso, o queijo do Maraj√≥ seria reconhecido como um produto √ļnico da ilha, garantindo a preserva√ß√£o das t√©cnicas que fizeram sua fama.

http://economia.terra.com.br/vida-de-empresario/queijo-tipico-vira-produto-de-exportacao-da-ilha-de-marajo,7ffcb512169c6410VgnVCM5000009ccceb0aRCRD.html

Toda reclama√ß√£o originada das informa√ß√Ķes contidas no site de eDairy News ser√° submetida √† jurisdi√ß√£o dos Tribunais Ordin√°rios do Primeiro Distrito Judicial da Prov√≠ncia de C√≥rdoba, Rep√ļblica Argentina, sediado na Cidade de C√≥rdoba, com exclus√£o de qualquer outro local, incluso o Federal.

*

Crit√©rios na modera√ß√£o de coment√°rios em termos de publica√ß√£o e Not√≠cias de produtos em todas as suas publica√ß√Ķes.

  • No s√© considerar√°n insultos de qualquer tipo em contra de qualquer persona, sea usuario, moderador √≥ editor. Apenas se aceitar denuncias realizadas com nome e apelido do autor do comentario, previa confirma√ß√£o de moderador.
  • Cr√≠ticas destructivas infundadas e gratuitas, express√Ķes de mal gusto, sean ofensivas, racistas ou xen√≥fobas.
  • Hacer SPAM, (Insertar v√≠nculos de p√°ginas web sem links para o tema, corre√ß√Ķes eletr√īnicas, etc ...)
  • Coment√°rios que n√£o tem sentido com a nota no setor l√°cteo.

Related posts

ÔĽŅ
Top