Seca causa queda na produção de grãos principalmente RS e PR

Seca causa queda na produção de grãos principalmente no RS e PR

A Conab, Companhia Nacional de Abastecimento, prevíª uma safra de 157 milhões de toneladas, com redução de cinco milhões em relação í  safra anterior. A soja cai 8,1% e o arroz, 17,9%.

A seca causou a queda na produção de grãos. O problema climático afetou principalmente o Rio Grande do Sul e o Paraná, onde na estiagem as lavouras estavam em fase de floração e frutificação.

 

“A estiagem vem se acentuando desde novembro e principalmente a partir de meados de dezembro nós tivemos um comportamento de déficit hí­drico muito acentuado nos estados do Sul e no Mato Grosso do Sul”, explica Sí­lvio Porto, diretor de polí­tica agrí­cola da Conab.

O milho contribui para que esta safra não seja ainda menor. A produção deve crescer 6%, ou seja, ficar em 3,4 milhões de toneladas.

“Foi a expectativa de bom preço da questão do milho. O produtor se motivou, plantou mais e isto foi de uma forma geral. Segundo foram as condições de crescimento em parte do processo de tecnologia. O uso maior de fertilizantes tem crescido, mas também as condições climáticas nessas regiões tíªm favorecido o aumento da produção do milho da segunda safra”, diz Caio Rocha, secretário de polí­tica agrí­cola – Mapa.

O IBGE também divulgou uma estimativa para a safra de grãos. Para o instituto, que adota o calendário de janeiro a dezembro, a produção deverá ficar em 158,7 milhões de toneladas.
Fonte: Globo Rural

Toda reclamação originada das informações contidas no site de eDairy News será submetida à jurisdição dos Tribunais Ordinários do Primeiro Distrito Judicial da Província de Córdoba, República Argentina, sediado na Cidade de Córdoba, com exclusão de qualquer outro local, incluso o Federal.

*

Critérios na moderação de comentários em termos de publicação e Notícias de produtos em todas as suas publicações.

  • No sé considerarán insultos de qualquer tipo em contra de qualquer persona, sea usuario, moderador ó editor. Apenas se aceitar denuncias realizadas com nome e apelido do autor do comentario, previa confirmação de moderador.
  • Críticas destructivas infundadas e gratuitas, expressões de mal gusto, sean ofensivas, racistas ou xenófobas.
  • Hacer SPAM, (Insertar vínculos de páginas web sem links para o tema, correções eletrônicas, etc ...)
  • Comentários que não tem sentido com a nota no setor lácteo.


Top