etra Pak identifica 2,7 bilhões de novos consumidores

Tetra Pak identifica 2,7 bilhões de novos consumidores para a indústria do leite

Uma nova pesquisa da Tetra Pak, lí­der mundial em soluções para processamento e envase de alimentos, identifica que 2,7 bilhões de novos consumidores serão a próxima grande oportunidade de mercado para a indústria de laticí­nios. Essa expectativa surge da população de baixa renda que deve emergir nos paí­ses em desenvolvimento, graças ao esperado aumento da prosperidade, do poder de compra e do desejo de consumo de produtos lácteos lí­quidos.

De acordo com o estudo Tetra Pak Dairy Index – que acompanha em todo o mundo fatos, números e tendíªncias na indústria de laticí­nios – o consumo de lácteos da população de baixa renda em mercados em desenvolvimento deve aumentar de 70 bilhões de litros em 2011 para quase 80 bilhões de litros em 2014. Muitos destes consumidores passarão a comprar o leite embalado, ao invés do leite cru.

Segundo Dennis Jí¶nsson, Presidente e CEO da Tetra Pak, os consumidores de baixa renda representam quase 40% da população mundial e, além de viverem em economias que impulsionam o crescimento da indústria, o poder aquisitivo dessa classe está aumentando. “Isso representa uma das maiores oportunidades de crescimento para a indústria láctea e a chave para o sucesso de amanhã está em atingir esses consumidores hoje”, defende Dennis.

Atualmente estes consumidores tíªm uma renda média de US$ 2 a US$ 8 por dia e são virtualmente inalcançados pelos produtores de lácteos. Chamados pela Tetra Pak de consumidores do meio da pirí¢mide – ou Deeper in the Pyramid (DIP), em inglíªs – representam cerca de 50% da população dos paí­ses em desenvolvimento e consomem 38% dos produtos lácteos lí­quidos. Metade destes consumidores DIP vivem na índia e na China. A pesquisa da Tetra Pak foi focada em seis paí­ses, que representam mais de 76% do consumo dos produtos lácteos lí­quidos destes consumidores na índia, China, Indonésia, Brasil, Paquistão e Quíªnia.

Muitos destes consumidores DIP devem ter melhor renda, passando da classe baixa para a média até o final da década, aumentando seu poder de compra e a gama de produtos que compram. O aumento do poder aquisitivo vem acompanhado de uma maior consciíªncia da segurança alimentar e a busca por conveniíªncia, de produtos prontos para beber, o que deverá aumentar a demanda por produtos embalados.

A população mundial DIP deverá cair a uma taxa composta anual de 3% de 2009-2020. A população que vive com mais de US$ 8 por dia deverá crescer 4% anualmente (CAGR), de acordo com a Boston Consulting Group, que ajudou a Tetra Pak a desenvolver a classificação DIP.

De acordo com Dennis Jí¶nsson, os consumidores de baixa renda de hoje, são a classe média de amanhã. “Consideramos que esta é uma oportunidade de ouro para os produtores de lácteos cultivarem a lealdade desta parcela da população e criarem uma nova geração de consumidores de lácteos nos paí­ses em desenvolvimento”, afirma.

A Tetra Pak identificou que os laticí­nios devem superar tríªs desafios fundamentais. Desde já, os produtos devem ser economicamente acessí­veis, atraentes e estarem disponí­veis para os consumidores com rendas limitadas. Isso significa que as indústrias de lácteos devem oferecer produtos saudáveis, seguros, nutritivos e embalados, sem adição de custos insustentáveis. Eles também devem disponibilizá-los em pequenas lojas tradicionais em áreas rurais remotas ou em cidades congestionadas, onde os consumidores DIP compram.

Inovação e eficiíªncia serão soluções vitais para ajudar a indústria a desenvolver produtos, embalagens e processamento para atender í s necessidades desses consumidores de baixa renda, de acordo com o relatório. “Temos de desenvolver produtos de maneira diferente, distribuí­-los de forma diferente e vendíª-los de forma diferente para aumentar a disponibilidade de uma boa nutrição nos paí­ses em desenvolvimento”, afirma Jí¶nsson.

A Tetra Pak identificou algumas de maneiras de tornar os produtos mais acessí­veis. Dentre elas está a mudança na forma como os produtos lácteos e as embalagens são desenvolvidos. í‰ possí­vel utilizar, por exemplo, alternativas ao leite integral, como o soro de leite ou ácido lácteo, na produção de bebidas lácteas nutritivas e saudáveis com menor custo. Outra forma é reduzir o tamanho das embalagens, ou optar por formatos mais simples.

Descobrir maneiras de tornar os produtos lácteos embalados amplamente disponí­veis aos consumidores DIP é também um desafio. Cerca de 70% das compras deste público são realizadas nos comércios tradicionais e em pequenas lojas familiares. Para atingi-los, as empresas estão chegando de formas inovadoras e estão produzindo localmente onde a demanda por produtos lácteos lí­quidos embalados está crescendo. Além de unir-se com os distribuidores que tíªm um histórico de trabalhar com lojas tradicionais, os fabricantes também investem no uso dos transportes adequados, como bicicletas, para distribuir seus produtos.

Tornar os produtos atraentes para os consumidores DIP, que se concentram em oferecer o melhor para seus filhos e, muitas vezes reduzem outras despesas antes de comprometer a alimentação nutricional básica, como leite, é o desafio final. De acordo com o Tetra Pak Dairy Index, as empresas precisam gerar vendas significativas para alcançar as economias de escala necessárias para fornecer melhor custo-benefí­cio e qualidade nutricional para os consumidores DIP. Os fabricantes precisam também criar conscientização das suas marcas e envolvimento para produtos destinados í s crianças que compram bebidas lácteas e lanches com seu próprio dinheiro.

Crescimento de produtos lácteos lí­quidos acelera entre 2011 e 2014

Ainda de acordo com a pesquisa Tetra Pak Dairy Index, a demanda por produtos lácteos lí­quidos será acelerada entre 2011 e 2014, principalmente pelo aumento do consumo na ísia, ífrica e América Latina. Este consumo global deve aumentar cerca de 2,9% ao ano (CAGR) entre 2011 e 2014, acelerando dos 2,5% entre 2008 e 2011, liderado por uma forte procura nos mercados emergentes.

O consumo de bebidas í  base de ácido láctico (LAD), leites infantis e leites aromatizados devem crescer í  rápidas taxas entre 2011-2014. Os LAD que tendem a ser bebidas acessí­veis e preferidas entre os consumidores DIP da í€sia, devem crescer cerca de 11,9% (CAGR), seguidos pelos leites infantis CAGR 9,0% e leites aromatizados, com 4,8% (CAGR).

Segundo Dennis Jí¶nsson, fornecer produtos lácteos saudáveis, nutritivos e embalados para os consumidores DIP não é apenas uma oportunidade de negócio. “í‰ uma oportunidade de transformar vidas, tornar os alimentos nutritivos seguros e disponí­veis para uma nova geração de consumidores emergentes”, afirma o CEO.

Lí­der mundial

A Tetra Pak é lí­der mundial em soluções para processamento e envase de alimentos. Trabalhando próximo aos fornecedores e clientes, fornece produtos seguros, inovadores e ambientalmente corretos que a cada dia atendem í s necessidades de centenas de milhões de pessoas em mais de 170 paí­ses ao redor do mundo.

Com aproximadamente 22.000 funcionários baseados em mais de 85 paí­ses, a empresa acredita na gestão responsável e abordagem sustentável do negócio. O slogan PROTEGE O QUE í‰ BOM reflete sua visão de tornar o alimento seguro e disponí­vel, em qualquer lugar.

Mais informações sobre a Tetra Pak estão disponí­veis no www.tetrapak.com.br.

FONTE

CDN
Victor Peixoto – Jornalista
Telefone: (11) 3643-2714

http://www.agrosoft.org.br/agropag/221582.htm

Toda reclamação originada das informações contidas no site de eDairy News será submetida à jurisdição dos Tribunais Ordinários do Primeiro Distrito Judicial da Província de Córdoba, República Argentina, sediado na Cidade de Córdoba, com exclusão de qualquer outro local, incluso o Federal.

*

Critérios na moderação de comentários em termos de publicação e Notícias de produtos em todas as suas publicações.

  • No sé considerarán insultos de qualquer tipo em contra de qualquer persona, sea usuario, moderador ó editor. Apenas se aceitar denuncias realizadas com nome e apelido do autor do comentario, previa confirmação de moderador.
  • Críticas destructivas infundadas e gratuitas, expressões de mal gusto, sean ofensivas, racistas ou xenófobas.
  • Hacer SPAM, (Insertar vínculos de páginas web sem links para o tema, correções eletrônicas, etc ...)
  • Comentários que não tem sentido com a nota no setor lácteo.

Related posts


Top