Tribunal italiano confirma condenação de fundador da Parmalat

Tribunal italiano confirma condenação de fundador da Parmalat

Os antigos executivos da Parmalat, entre eles o fundador Calisto Tanzi, foram novamente sentenciados hoje í  prisão depois de terem recorrido de decisões anteriores, referentes ao colapso do grupo italiano.

Uma corte de Bologna, na Itália, porém, reduziu o tempo das sentenças, frente ao determinado em 2010. Tanzi, com 73 anos, agora tem de cumprir 17 anos e 10 meses por falíªncia fraudulenta e associação criminal. Anteriormente, ele havia sido condenado a 18 anos de prisão. A informação é da imprensa italiana.

Durante o perí­odo em que a Parmalat anunciou sua concordata em 2003, 14 bilhões de euros sumiram das contas da empresa. Paralelamente, em Milão, outra corte julgou como procedente as acusações a Tanzi referentes í  manipulação no mercado de ações. A decisão foi de cumprimento de oito anos e um míªs de prisão para o ex-executivo da Parmalat.

Tanzi não compareceu a nenhum dos julgamentos, pois está internado em um hospital em Parma desde o ano passado. Outros 15 ex-diretores da companhia também estão condenados.

Após a falíªncia, a Parmalat foi adquiridapela francesa Lactalis. No Brasil, a Laep Investments ficou com os ativos de produção nacional, mas os alienou em 2011 í  GP Investimentos. O fundo de private equity, no entanto, permanece com o direito da marca até 2017.

Fonte: Dow Jones

Toda reclamação originada das informações contidas no site de eDairy News será submetida à jurisdição dos Tribunais Ordinários do Primeiro Distrito Judicial da Província de Córdoba, República Argentina, sediado na Cidade de Córdoba, com exclusão de qualquer outro local, incluso o Federal.

*

Critérios na moderação de comentários em termos de publicação e Notícias de produtos em todas as suas publicações.

  • No sé considerarán insultos de qualquer tipo em contra de qualquer persona, sea usuario, moderador ó editor. Apenas se aceitar denuncias realizadas com nome e apelido do autor do comentario, previa confirmação de moderador.
  • Críticas destructivas infundadas e gratuitas, expressões de mal gusto, sean ofensivas, racistas ou xenófobas.
  • Hacer SPAM, (Insertar vínculos de páginas web sem links para o tema, correções eletrônicas, etc ...)
  • Comentários que não tem sentido com a nota no setor lácteo.

Related posts


Top