ÔĽŅ Um show de tecnologias para produtores de leite

#Um show de tecnologias para produtores de leite

Nesta quarta-feira, dia 17, os produtores de leite que quiserem atualizar seus conhecimentos no manejo do gado leiteiro podem deslocar-se at√© a Esta√ß√£o Experimental Terras Baixas (Cap√£o do Le√£o/RS), uma das √°reas dedicadas √≠¬† pesquisa agropecu√°ria da Embrapa Clima Temperado para participarem do Dia de Campo Produ√ß√£o de Leite.√ā¬† O diferencial do evento ser√£o as quatro esta√ß√Ķes, que v√£o congregar cerca de 11 trabalhos √≠¬† campo, incluindo atividades em laborat√≥rio e nas √°reas experimentais da Empresa. Caravanas de produtores vindos da regi√£o da Fronteira e produtores vinculados a cooperativas e associa√ß√Ķes rurais de outras proced√≠¬™ncias do Estado est√£o confirmando a presen√ßa de cerca de 400 pessoas.

O n√ļmero de participantes confirmados indica o interesse pelo assunto, onde a Embrapa est√° se colocando √≠¬† disposi√ß√£o para aproximar os trabalhos de pesquisa em leite ao setor produtivo. Um dos coordenadores do evento, o pesquisador Jorge Schafhauser Jr diz que a ideia √© realizar esta√ß√Ķes simult√≠¬Ęneas, para que divididos em grupos menores, todos os participantes saiam do dia de campo com uma no√ß√£o clara do que est√° sendo desenvolvido na √°rea leiteira.

O dia de campo come√ßa √≠¬†s 8h30 com as inscri√ß√Ķes e organiza√ß√£o dos grupos. Das 9h30 √≠¬†s 12h30 ser√£o realizadas duas esta√ß√Ķes. A primeira vai tratar sobre orienta√ß√Ķes para encaminhamento de amostras para o Laborat√≥rio de Qualidade do Leite (LABLEITE), seguida por estrat√©gias a serem adotadas para preven√ß√£o e tratamento do Leite Inst√°vel N√£o √≠¬Ācido (Lina), sendo que uma das mais importantes √© oferecer ao rebanho uma dieta adequada em quantidade e qualidade para atender as necessidades nutricionais das vacas e para produzir leite.Outro ponto ser√° como o produtor rural poder√° diagnosticar a presen√ßa do Lina na sua produ√ß√£o de leite. √Ę‚ā¨ŇďO teste do √°lcool √© um dos par√≠¬Ęmetros para avaliar a qualidade do leite na UPL, determinando o aceite ou a rejei√ß√£o do mesmo para coleta e transporte para ind√ļstria√Ę‚ā¨¬Ě, explicou a pesquisadora Maira Zanella. Segundo ela, o Lina √© preju√≠¬≠zo √≠¬† cadeia produtiva.

Esta esta√ß√£o ser√° finalizada ao apresentar possibilidades de reprodu√ß√£o assistida em bovinos, atrav√©s da produ√ß√£o in vitro de embri√Ķes em condi√ß√Ķes controladas, com a vantagem de obter um n√ļmero superior de descendentes√ā¬† ao que normalmente uma f√≠¬™mea pode ter durante sua vida reprodutiva. √Ę‚ā¨ŇďEsta t√©cnica viabiliza a multiplica√ß√£o de animais selecionados por caracter√≠¬≠sticas de interesse zoot√©cnico√Ę‚ā¨¬Ě, comentou a pesquisadora L√≠¬≠gia Pegoraro.

A segunda esta√ß√£o vai tratar da cria√ß√£o de terneiras em rebanhos leiteiros, onde o pesquisador Jorge Schafhauser Jr vai recomendar quais as condi√ß√Ķes necess√°rias √≠¬† reposi√ß√£o de animais para melhoramento do rebanho e aumento da produtividade. √Ę‚ā¨Ňď A fase da cria, que vai do nascimento aos 90 dias de idade, √© determinante para sa√ļde e longevidade da futura vaca durante toda a sua vida produtiva√Ę‚ā¨¬Ě, alertou. Tamb√©m nesta esta√ß√£o, ser√° tratado o manejo de bubalinos para leite e corte. A pesquisadora Maria Cec√≠¬≠lia Dam√© falou que atualmente 85% do rebanho nacional √© explorado para produ√ß√£o de carne e os 15% restantes para leite. √Ę‚ā¨ŇďOs b√ļfalos chegam a produzir cerca de 150 mil toneladas/ano de carne, e a produ√ß√£o de leite pode superar a do leite bovino em mais de 40%√Ę‚ā¨¬Ě, disse. Maria Cec√≠¬≠lia comentou que o leite √© mais explorado para produ√ß√£o de queijos.

√≠‚ā¨ tarde, acontecem mais duas esta√ß√Ķes √≠¬† campo. A terceira visita conduz os participantes a conhecer pr√°ticas de manejo de vacas no pr√©-parto, buscando reduzir a incid√≠¬™ncia da hipocalcemia ou febre do leite, que ocorre entre 10 e 30% dos partos. Segundo o analista Alcio Azambuja este dist√ļrbio metab√≥lico geralmente acontece com vacas de mais de uma cria. √Ę‚ā¨ŇďEste dist√ļrbio pode gerar uma s√©rie de outras desordens nas vacas, prejudicando sua efici√≠¬™ncia produtiva, menor produ√ß√£o de leite e preju√≠¬≠zo econ√≠¬īmico√Ę‚ā¨¬Ě, observou. Nesta mesma esta√ß√£o os pesquisadores v√£o apresentar o manejo nutricional de vacas em lacta√ß√£o e dicas de manejo na ordenha. O rebanho utilizado s√£o 150 animais da ra√ßa Jersey PO, sendo 50, em fase de lacta√ß√£o. Outra alternativa apresentada ao grupo interessado √© o manejo na secagem das vacas. O t√©cnico agr√≠¬≠cola Christiano Weissheimer vai dar o passo a passo de como, quando e por que secar vacas lactantes.

E a √ļltima esta√ß√£o, d√° destaque ao manejo de pastagens√ā¬† em integra√ß√£o lavoura-pecu√°ria, visando a produtividade do rebanho leiteiro. Para o pesquisador Jamir Silva o inverno √© um momento cr√≠¬≠tico de oferecimento de pasto com qualidade √≠¬†s vacas. √Ę‚ā¨Ňď N√£o pela aus√≠¬™ncia de esp√©cies forrageiras adaptadas a essa √©poca, mas pelo manejo desajustado do pastejo e pelo uso insuficiente de fertiliza√ß√£o nos solos√Ę‚ā¨¬Ě, explica. E encerrando as atividades, a Embrapa mostra sua vitrine de forrageiras. √Ę‚ā¨ŇďVamos mostrar as principais esp√©cies recomendadas para cultivo no Estado, com destaque para as cultivares da Embrapa, a BRS Ponteio (azev√©m), BRS Adelino (capim-lanudo), BRS Centauro (aveia-preta), BRS Serrano (centeio), BRS Tarum√£ (trigo duplo prop√≥sito), BRS Resteveiro (trevo-persa) e BRS Kurumi (capim-elefante).

http://www.midianews.com.br/conteudo.php?sid=4&cid=137443

Toda reclama√ß√£o originada das informa√ß√Ķes contidas no site de eDairy News ser√° submetida √† jurisdi√ß√£o dos Tribunais Ordin√°rios do Primeiro Distrito Judicial da Prov√≠ncia de C√≥rdoba, Rep√ļblica Argentina, sediado na Cidade de C√≥rdoba, com exclus√£o de qualquer outro local, incluso o Federal.

*

Crit√©rios na modera√ß√£o de coment√°rios em termos de publica√ß√£o e Not√≠cias de produtos em todas as suas publica√ß√Ķes.

  • No s√© considerar√°n insultos de qualquer tipo em contra de qualquer persona, sea usuario, moderador √≥ editor. Apenas se aceitar denuncias realizadas com nome e apelido do autor do comentario, previa confirma√ß√£o de moderador.
  • Cr√≠ticas destructivas infundadas e gratuitas, express√Ķes de mal gusto, sean ofensivas, racistas ou xen√≥fobas.
  • Hacer SPAM, (Insertar v√≠nculos de p√°ginas web sem links para o tema, corre√ß√Ķes eletr√īnicas, etc ...)
  • Coment√°rios que n√£o tem sentido com a nota no setor l√°cteo.

Related posts

ÔĽŅ
Top