Uruguai aprova o maior crédito na sua história para as fábricas de leite

Uruguai aprova o maior crédito na sua história para as fábricas de leite

í‰ para um conglomerado que produzem soro. O presidente do Banco Republica Fernando Calloia, disse ao El Paí­s esta semana aprovado de US $ 50 milhões, que representa a “quantidade maior da história do banco.”

O financiamento é para as empresas uruguaias e argentinas que serão instalados em Rio Negro na fazenda que pertencia ao espanhol ENCE, e formado por empresas de lácteos La Sibila (Rosario, Argentina), Indulacsa e Claldy (Uruguai)

A planta “soro de leite processado a partir da indústria de laticí­nios para ser compatí­vel como um meio de alimentar os recém-nascidos”, disse Calloia. Ele explicou que esta é uma “nova tecnologia para a utilização de ração animal para consumo humano de alta qualidade.”

De facto, a planta vai produzir soro desmineralizado, que é um componente desidratado que funciona como uma base para o desenvolvimento de produtos alimentares para crianças para seis meses e seu principal mercado é a China (que é produto do grande autor), mas também procurar outros destinos de exportação.

A empresa disse que a fábrica deverá estar operacional em setembro de 2013 a partir de quando se pretende produzir 35.000 toneladas anuais. Além disso, o construção e operação exigirá cerca de 200 postos de trabalho.

Fonte: www.lecherialatina.com

Toda reclamação originada das informações contidas no site de eDairy News será submetida à jurisdição dos Tribunais Ordinários do Primeiro Distrito Judicial da Província de Córdoba, República Argentina, sediado na Cidade de Córdoba, com exclusão de qualquer outro local, incluso o Federal.

*

Critérios na moderação de comentários em termos de publicação e Notícias de produtos em todas as suas publicações.

  • No sé considerarán insultos de qualquer tipo em contra de qualquer persona, sea usuario, moderador ó editor. Apenas se aceitar denuncias realizadas com nome e apelido do autor do comentario, previa confirmação de moderador.
  • Críticas destructivas infundadas e gratuitas, expressões de mal gusto, sean ofensivas, racistas ou xenófobas.
  • Hacer SPAM, (Insertar vínculos de páginas web sem links para o tema, correções eletrônicas, etc ...)
  • Comentários que não tem sentido com a nota no setor lácteo.

Related posts


Top