Pela primeira vez na história, a produção mundial ultrapassou 900 milhões de toneladas de leite por ano, um crescimento de 3% em relação ao ano anterior.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

O ano de 2020 fechou como um bom ano para a indústria láctea mundial e, apesar das complicações geradas pela pandemia, a produção estabeleceu um recorde histórico de mais de 900 milhões de toneladas, um aumento de cerca de 3% ao ano.

O volume atingiu 910 milhões de toneladas e, segundo o Observatório da Cadena Láctea Argentina (OCLA), “o crescimento se deve principalmente à tendência dinâmica da produção de leite de vaca e búfala na Índia”.

Enquanto o leite de vaca representa mais de 80% da produção mundial total de leite (735 milhões de toneladas em 2020), a taxa de crescimento do leite de búfala é duas vezes maior.

As entregas globais de leite de vaca aumentaram significativamente em 2020, com um aumento médio de 2,5%, depois de um ritmo um pouco mais lento em 2019. A OCLA destaca ainda que todos os países, com exceção da Ucrânia e dos países da África Subsaariana, mostraram um aumento nas entregas de leite.

Como pode ser visto no gráfico abaixo, um dos principais problemas enfrentados pela atividade leiteira no mundo todo é que enquanto a produção está aumentando, e em alguns casos o rebanho, o número de produtores (produtores leiteiros) trabalhando está diminuindo ano a ano.

Finalmente, vale mencionar que durante 2020 nosso país ficou em décimo primeiro lugar no ranking dos principais produtores mundiais de leite, aumentando sua produção em 7,5% em relação a 2019.

 

“Enxugar gelo”. Você já sentiu essa interminável sensação?

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER