Iniciativa pode beneficiar pecuaristas de leite de Minas, onde grupo tem operações | Crédito: Ronaldo Rosa A Lactalis do Brasil, empresa do grupo francês Lactalis
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

 

Iniciativa pode beneficiar pecuaristas de leite de Minas, onde grupo tem operações | Crédito: Ronaldo Rosa
A Lactalis do Brasil, empresa do grupo francês Lactalis, quer fazer do Brasil um hub para exportação de produtos lácteos para a América Latina. Através da promoção da competitividade, o que é feito aumentando a produtividade e a qualidade do leite nacional, a empresa, que detém marcas mundialmente reconhecidas como a Président e a Parmalat, pretende ampliar o portfólio no País e abastecer os mercados mais próximos.

Os pecuaristas de leite de Minas Gerais podem ser beneficiados com a iniciativa, já que um dos principais fornecedores da Lactalis é a Cooperativa Central dos Produtores Rurais de Minas Gerais (CCPR).

De acordo com o diretor de Comunicação da Lactalis do Brasil, Guilherme Portella, o Brasil tem um grande potencial para se tornar um país exportador de lácteos, o que, aliado às marcas fortes da Lactalis, pode transformar o Brasil em um hub de exportações lácteas.

“Nós da Lactalis temos marcas internacionais, como a Président e a Parmalat, reconhecidas que ajudam no acesso aos mercados da América Latina. Nossa ideia é produzir no Brasil e exportar para os países onde já temos exportações vigentes com essas marcas internacionais e pretendemos ampliar de maneira significativa”, explicou.

Ainda segundo Portella, a ideia é trazer para o mercado brasileiro produtos novos, mas já fabricados em outras partes do mundo, e testar a aceitação aqui. Dentre eles estão vários tipos de queijos especiais e finos. Também está entre as ações a fabricação no Brasil de produtos hoje já consumidos, mas que são importados.

“Queremos centralizar no Brasil o portfólio de produção e promover a entrada de alguns produtos que vêm de fora. Vamos verificar se os produtos têm apelo para produção. Dentre os itens, estão, por exemplo, uma grande variedade de queijos especiais e finos que ainda não são produzidos no Brasil. Vamos trazer de fora em quantidades menores e testar no mercado consumidor do Brasil e da América Latin., Caso sejam aprovados, pretendemos produzir em maior escala e exportar a partir do País”.

O projeto do hub já está em andamento e a Lactalis exporta produtos feitos no Brasil para os mercados da Argentina, Uruguai, Paraguai e Chile. Existe ainda projeto de expansão para a Colômbia, Venezuela e República Dominicana. Entre os produtos estão leite em pó e queijos. Para alguns países, como o Chile, existe a possibilidade de vender iogurtes e compostos lácteos.

Para que o projeto seja realizado, a Lactalis do Brasil vem investindo cada vez mais na qualidade do leite. Além dos serviços já prestados de consultoria e assistência técnica junto aos produtores e cooperativas parceiras, a empresa está negociando uma parceria junto à Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) para estimular ainda mais a qualidade, a captação, produtividade e competitividade do leite nacional.

De acordo com informações divulgadas pelo chefe-geral da Embrapa Gado de Leite, Paulo do Carmo Martins, no site da Embrapa, a parceria entre as instituições terá como objetivo o treinamento de técnicos e a realização de palestras a produtores, além do desenvolvimento de conhecimento em conjunto.

“Entre outros temas, iremos focar no bem-estar animal e em questões ambientais, sob a ótica do ‘ESG’, garantindo as boas práticas de produção que assegurem cuidados com o meio ambiente e com a sociedade”, disse Martins.

Projeto disruptivo
Para o diretor de Comunicação da Lactalis do Brasil, Guilherme Portella, a parceria com a Embrapa, quando fechada, trará grande evolução. “O projeto é para desenvolver melhor a produtividade e a qualidade do campo. Ainda estamos em negociação, mas será um projeto disruptivo do cenário de leite em Minas e no Brasil inteiro”.

O fortalecimento do produtor rural e das cooperativas é considerado fundamental. “A Lactalis é a maior captadora e maior produtora de lácteos do Brasil. A partir da aquisição da Itambé, a empresa vem se fortalecendo cada vez mais para termos uma liderança positiva no cenário de lácteos, com inovação e projetos industriais novos. Também estamos fortalecendo a participação no campo, para melhorar a produtividade”, disse Portella.

inda segundo Portella, a empresa vem trabalhando junto com as cooperativas. Hoje a assessoria técnica é composta por mais de 100 pessoas que desenvolvem projetos de campo. Em Minas Gerais, uma das principais parceiras é a CCPR, que, segundo Portella, também trabalha de maneira forte para melhorar a produtividade e a qualidade do leite.

“Não existe indústria sem o produtor e nem produtor sem indústria. Por isso, queremos fortalecer o produtor de leite pagando o valor justo. Nosso objetivo é melhorar a qualidade para ter boa rentabilidade do negócio sem que o produto saia do preço de mercado. Tendo qualidade e produtividade se tem rentabilidade. Vamos trabalhar para manter o produtor forte”.

Campanha consumo de leite – A Campanha da 1ª Semana do Leite, prevista para ocorrer na primeira quinzena de novembro, foi o tema central da 18ª Reunião da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Leite e Derivados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), realizada nesta sexta-feira (17).

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER