Com as demandas interna e externa aquecidas, as cotações do milho estão em alta no Brasil, segundo informações do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da Esalq-USP.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Foto Notícia
Com as demandas interna e externa aquecidas, as cotações do milho estão em alta no Brasil, segundo informações do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da Esalq-USP.

O Indicador Esalq/BM&FBovespa com base em Campinas (SP) subiu 5,52% de 4 a 11 de março, fechando a R$ 103,57 por saca de 60 kg na sexta-feira, 11. Na parcial de março (de 25 de fevereiro a 11 de março), o avanço é de 6,4%.

Segundo os pesquisadores, os consumidores brasileiros têm necessidade de adquirir novos lotes, mas esbarram na retração de vendedores e/ou nos altos patamares de preços praticados no mercado à vista.

“Agora, demandantes estão ainda mais apreensivos, tendo em vista que a nova valorização dos combustíveis deve encarecer o frete e, consequentemente, os custos”, relata o Cepea, em nota.

Quanto à demanda internacional pelo milho brasileiro, os pesquisadores relatam que ela tem sido intensificada diante do conflito entre a Rússia e a Ucrânia, que tem resultado em mudanças em rotas de exportadores e em aumento da procura pelo cereal sul-americano.

A preocupação com a falta de leite em pó nos Estados Unidos está crescendo e começa a ter sérias conseqüências, incluindo a hospitalização de quatro

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER