A importância do teste de CCS para assegurar a qualidade do leite
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

 

A importância do teste de CCS para assegurar a qualidade do leite
Os produtores de leite se esforçam para manter o leite com alta qualidade, o que contribui para uma oferta segura bem como sustentável de alimentos. Em muitos países é normal que uma verificação individual oficial da Contagem de Células Somáticas (CCS) de cada animal seja feita pelo menos uma vez por mês. Essas checagens são muito úteis, pois fornecem aos produtores dados indicativos acerca da saúde do rebanho e da qualidade do leite, informações estas altamente valiosas para prevenir infecções por mastite bovina.

A contagem de células somáticas do leite reflete se há ou não um quadro de mastite, tendo implicações diretas na qualidade do leite, seu sabor e o seu potencial de ser transformada em outros produtos lácteos (como iogurte ou queijo).

Os contratos dos produtores de leite com seus fornecedores muitas vezes envolvem vários “limiares” da CCS, e isso é importante uma vez que, essencialmente, uma CCS mais baixa indica melhor saúde animal.

O monitoramento da CCS é importante, portanto, porque à medida que o número de células somáticas aumenta, a produção de leite provavelmente cairá, assim como a sua qualidade. Isso ocorre principalmente por conta dos danos causados ao tecido produtor de leite na mama durante a infecção, bem como as toxinas produzidas no processo, particularmente quando se perde as células epiteliais. Esses não são todos os prejuízos que esta falta de controle pode ocasionar. Acompanhe esse artigo e assim, conheça a importância do teste de CCS para os produtores de leite!

Contagem de células somáticas, um indicador da qualidade do leite

Já no início do século XX, os produtores de leite e laticínios vinham buscando uma maneira de medir a qualidade do leite. Eles não poderiam melhorar a qualidade do cuidado com suas vacas se não tivessem uma medida eficaz para determinar mudanças positivas, mas também negativas do estado de saúde dos animais e também do leite.

Contar o número de células no leite tornou-se o método padrão de medir a qualidade do leite e o chamam de contagem de células somáticas, CCS.

A Contagem de Células Somáticas (CCS) é, portanto, um dos principais indicadores da qualidade do leite. A maioria das células somáticas são leucócitos (glóbulos brancos) – que se tornam presentes em números crescentes no leite geralmente como uma resposta imune a um patógeno causador de mastite.

A contagem das células somáticas é um fator determinante para detectar a mastite bovina. Pois, quando as vacas leiteiras produzem um alto número de células somáticas, além do que se considera normal, é provável que estejam com a doença.

Um valor de referência para indicar uma quantidade regular de células somáticas em uma vaca varia entre 50.000 e 200.000 por ml. Quando este valor está acima do considerado normal (mais de 250.000) pode significar que o animal está contaminado.

A presença celular no leite é um dos importantes mecanismos de proteção da glândula mamária. Além disso, podemos considerar como uma função de vigilância na glândula não infectada. Porém quando essas células aparecem em número aumentado, é indicativo de infecção.

Macrófagos e PMN

Macrófagos e PMN são células fagocíticas que engolem e matam bactérias. Os linfócitos incluem células B e células T que desempenham papéis-chave em reações imunológicas específicas que podem seguir a resposta inicial à infecção.

Uma resposta inflamatória (mastite) é iniciada quando as bactérias entram na glândula mamária através do canal de e se multiplicam no leite. Bactérias ou seus componentes podem ter um efeito direto na função da mama e interagem com as células do leite.

Então, quando você resume tudo isso, a contagem de células somáticas é uma medida da atividade do sistema imunológico da vaca. Quanto menor a CCS, menos glóbulos brancos no leite, o que significa que as vacas estão menos estressadas e têm microrganismos menos invasores.

O que é mastite?

A mastite é uma inflamação mamária que acomete vacas leiteiras, diminuindo a capacidade das suas células epiteliais de produzir leite, ou que as destrói completamente. Infecções não resolvidas, mesmo aquelas que aparentemente causam aumentos menores (subclínicos) na contagem de células somáticas (CCS), resultarão na perda da produção de leite em uma vaca afetada todos os dias de sua lactação. No entanto, uma vaca com mastite subclínica tem a mesma alimentação e dá o mesmo trabalho e despesas que as outras, quer esteja alcançando a produção ideal ou não.

A mastite causa inflamação destrutiva na mama, mesmo quando a inflamação é leve. Além dos incentivos perdidos para o leite de qualidade, dos custos de tratamento dos casos clínicos, da menor fertilidade reprodutiva e a redução da longevidade e o bem-estar das vacas afetadas, a mastite também causa uma perda perniciosa de leite no dia a dia.

Você também pode obter mais informações do que é mastite e como controlá-la clicando aqui.

De que outras formas o teste de CCS na fazenda ajuda o produtor?

A contagem de células somáticas nem sempre indica que uma vaca está sofrendo uma infecção, mas são indicadores de que ela poderia estar com alguma coisa. CSS é como verificar seu colesterol. É um indicador da qualidade do leite e da saúde das mamas. Tanto o número absoluto geral quanto a proporção dos vários tipos de leucócitos no leite variam com uma série de fatores, incluindo estágio de lactação, época do ano, variação diurna, frequência e intervalos de ordenha e estresse. Porém as mudanças mais significativas são observadas em resposta à infecção.

O aumento do CCS indica uma resposta imune mais comumente à infecção, no entanto, também faz parte dessa resposta imune e confere alguma proteção. A distribuição de células somáticas numa glândula mamária sadia normalmente é: macrófagos (65%), com outros leucócitos, incluindo linfócitos (10 a 25%) e neutrófilos (0 a 10 por cento). O leite de uma glândula infectada, no entanto, tem mais de 90% de neutrófilos, devido ao maior influxo dessas células de defesa para a glândula mamária e, consequentemente, para o leite. Outros fatores:

A CCS é expressa como uma série de células somáticas por ml de leite e pode logicamente ser usada como medida indireta ou indicador de saúde do úbere (com a ressalva de que outros fatores que não a infecção pode afetar a CCS), pois a maioria das células somáticas é composta de células de defesa do sistema imune que são produzidas em maior número por uma glândula infectada.

Por essas razões, as alterações na CCS são tão importantes de serem medidas: as implicações e o impacto financeiro do aumento da CCS em termos de redução de rendimento e qualidade realmente impactam nos rendimentos de um produtor. Aqui estão outros fatores importantes que podem ser observados a partir de um teste de CCS:

• Idade – Vacas mais velhas tendem a ter mais células presentes em seu leite, enquanto mais jovens têm menos;
• Estágio de lactação – Vacas que produzem menos leite e estão mais tarde em sua lactação têm menos células presentes;
• Estresse – Uma vaca mais estressada mostrará maior CCS;
• Estação – Os níveis de CCS geralmente são mais baixos em um ambiente limpo, seco e confortável. O tempo úmido elevará a contagem de células;
• Geralmente a CCS é mais alta no inverno;
• Lesão – uma lesão, corte etc. eleva temporariamente o número de células até que a vaca se cure;
• Causas indiretas – procedimentos de ordenha ruins ou má higiene da mama são exemplos de fatores indiretos que podem contribuir para o maior CCS.

O que é um CCS Normal?

Como quanto mais baixo, melhor, você pode pensar que ter uma medição de 0 células somáticas significaria que o leite é de qualidade perfeita, mas esse não é realmente o caso.

Se você tem uma vaca produzindo leite com 0 células somáticas, sua vaca pode não ser deste planeta. Sua vaca pode não estar viva porque as células são uma parte normal dos sistemas biológicos. Zero células somáticas significaria que sua vaca não está replicando novas células. É normal que as vacas gerem células, e tenham glóbulos brancos presentes no leite.

Então, o que seria considerado um nível normal de CCS?

A contagem de células para leite “normal” é quase sempre inferior a 200.000 células/ml (menor para vacas mais jovens). Maiores contagens são consideradas anormais e indicam provável infecção. Maiores contagens também estão associadas à diminuição da produção.

Mantenha o CCS sob controle através do teste de CCS

Sem uma estratégia de gestão que inclua monitorar ativamente o CCS individual da vaca e novas infecções, você está assumindo um risco financeiro. Certifique-se de conhecer seus níveis e ter protocolos para identificar patógenos de mastite e tratá-los.

A CCS impacta quase todos os aspectos de toda cadeia da produção de leite e lácteos, por isso é importante pensar além do risco de mastite ao pensar em CCS. Esta é uma mudança crítica de mentalidade principalmente por causa do impacto que a CSS tem sobre os principais fatores que impulsionam o lucro.

A alta de CCS está associada à redução do desempenho reprodutivo. Isso se deve ao efeito fisiológico negativo que os altos níveis de CCS têm no sistema reprodutivo de uma vaca. Menor desempenho reprodutivo significa menor renda líquida da fazenda e, em última análise, aumentar os custos de substituição e reduzir o lucro.

Níveis elevados de CCS também foram associados a maiores taxas de óbitos. Uma revisão mais ampla dos dados mostra que isso não se deve necessariamente apenas à mastite, mas sim às vacas em rebanhos com CCS elevados estão sendo perdidas por muitas razões. Então o CCS é realmente uma medida das habilidades globais de criação animal. Produtores que gerenciam bem a CCS são geralmente melhores no gerenciamento de todos os tipos de risco à saúde animal.

Gerenciar o CSS para obter níveis mais baixos apresenta uma grande oportunidade para melhorar sua rentabilidade a longo prazo.

Considerações finais sobre o teste de CCS na produção de leite

A indústria leiteira de hoje é desafiadora. É preciso senso de negócios, instintos fortes, know-how de produção láctea, inovação e melhoria contínua para ter sucesso. Trabalho, gestão da saúde, eficiências reprodutivas e genética são apenas uma lista curta mas crítica de coisas que exigem sua atenção e oferecem enormes oportunidades de melhoria. E se você pudesse priorizar os itens que terão o maior impacto na sua rentabilidade?

Um dos condutores da renda líquida da fazenda identificada pelo estudo é o impacto da contagem de células somáticas (CCS), pois é um indicador de desempenho geral, manejo e pecuária. Este índice elevado está associado à menor produção de leite, à redução das taxas de gravidez e à maior perda de óbito.

A CSS toca quase todas as partes da produção e beneficiamento de produtos lácteos. Seu amplo impacto em sua operação significa reduzir o CCS fornece uma excelente oportunidade para aumentar o lucro.

A chave para manter os níveis de CCS sob controle é através de um programa de monitoramento proativo e minucioso. Prevenindo assim novas infecções e reduzindo o risco geral de mastite.

A Nestlé mantém sua posição como a marca alimentar mais valiosa do mundo, avaliada em US$ 20,8 bilhões, de acordo com a consultoria líder mundial em avaliação de marcas Brand Finance, que observa que este valor é quase o dobro do da segunda marca mais valiosa do ranking, a Yili (US$ 10,6 bilhões).

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER