Depois de quatro anos de obras, a cooperativa de laticínios Selita inaugura neste sábado (02), às 10 horas, na Safra, Cachoeiro de Itapemirim, seu novo parque industrial. A nova fábrica terá capacidade para processar até 850 mil litros de leite por dia.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Fonte: Jornal ES HOJE

Depois de quatro anos de obras, a cooperativa de laticínios Selita inaugura neste sábado (02), às 10 horas, na Safra, Cachoeiro de Itapemirim, seu novo parque industrial. A nova fábrica terá capacidade para processar até 850 mil litros de leite por dia.

A Selita investiu R$ 130 milhões na nova estrutura, que está situada no Km 413, da BR 101. Entre os equipamentos adquiridos pela cooperativa, três robôs vão acelerar o processo na linha de produção.

A cooperativa reúne 1,8 mil produtores de leite do Espírito Santo, Rio de Janeiro, bem como Minas Gerais. A nova fábrica começa a produzir nos próximos dias. Em princípio, mantendo sua captação atual de 300 mil litros de leite por dia.

A Selita foi criada há 83 anos e por cerca de seis décadas manteve o parque industrial no bairro Campo Leopoldina, em Cachoeiro de Itapemirim.

Situada em uma área movimentada da cidade, a cooperativa enfrentava dificuldades para expandir no espaço antigo. Além disso, a fábrica precisava interromper o funcionamento às 17 horas, situação que será resolvida no novo endereço, onde a produção poderá seguir sem interrupção.

Atualmente, a Selita produz 85 diferentes produtos, com linha de leite UHT, achocolatado, queijos, iogurtes, requeijão, manteiga, doce de leite, creme de leite, leite em pó, entre outros.

De acordo com a cooperativa, a produção será transferida por etapas para a nova unidade industrial. De início, começa a produzir na Safra a sua linha de leite UHT, que inclui também os achocolatados e o creme de leite. Na fase seguinte, até dezembro, a nova fábrica vai produzir a linha de frios, como queijos e manteiga. Por fim, será transferida a produção de leite em pó.

Os dados preliminares divulgados pela SECEX do MDIC mostram que a média diária das exportações brasileiras de produtos lácteos no janeiro 2023 caiu 20,1% em dólar, na comparação com a média diária registrada em janeiro 2022, e -17,1% em volume.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER