Este mês, a cooperativa leiteira gaúcha Central Cooperativa Gaúcha Ltda (CCGL), concluiu a primeira exportação de produtos lácteos brasileiros para a China, no que é considerado o primeiro passo para o posicionamento do produto brasileiro no principal mercado de importação de produtos lácteos do mundo.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
www.semana.com

A carga, um pequeno volume de leite em pó, foi enviada por via aérea do aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, para Xangai, informou o Valor.

A remessa continha leite em pó integral, desnatado e com zero de lactose. A cooperativa disse à Valor que mais dois contentores já foram negociados e serão enviados em breve.

A autorização para exportar produtos lácteos brasileiros para a China data de 2019. Actualmente, existem 33 fábricas aprovadas para este negócio.

O CCGL tem a referência de 3.500 produtores e uma capacidade instalada de 3,2 milhões de litros por dia na sua fábrica de Cruz Alta, no estado do Rio Grande do Sul. Cerca de 60% dos 1,7 milhões de litros recebidos diariamente provêm de 30 afiliados cujas explorações são certificadas pelo programa “Leite mais saudável” e estão livres de tuberculose e brucelose. O envio para a China era leite proveniente destas quintas.

A cooperativa tinha de seguir individualmente toda a produção até às explorações de envio, o que era extremamente dispendioso e incómodo. A expectativa é que, assim que os importadores tiverem a confiança necessária, estes procedimentos sejam eliminados.

As perspectivas dos fundamentos do mercado apertaram-se ainda mais do lado da oferta no último mês, com o pico de produção na NZ a permanecer mais fraco do que o esperado e a contínua pressão descendente sobre a produção de leite da UE.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

newsletter

ASSINE NOSSO NEWSLETTER