Em sua live na última quinta-feira 28, o presidente Jair Bolsonaro cumprimentou os pecuaristas leiteiros, tomou um gole do produto e incentivou a população a consumi-lo.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Por João Carlos Rodrigues//Da redação AGROemDIA

Em sua live na última quinta-feira 28, o presidente Jair Bolsonaro cumprimentou os pecuaristas leiteiros, tomou um gole do produto e incentivou a população a consumi-lo. Atendeu, assim, a um convite da ministra Tereza Cristina (Agricultura) e da deputada federal paranaense Aline Sleutjes para participar da campanha #desafiodoleite, iniciativa dos movimentos de produtores Construindo Leite Brasil e Inconfidência Leiteira e da Abraleite.

Foi o suficiente para que o gesto de Bolsonaro fosse visto, nas mídias sociais e até em alguns sites da chamada imprensa progressista, como um aceno à extrema-direita, principalmente a grupos de supremacia branca no Brasil. Em seguida, o assunto passou a alimentar a disputa virtual entre apoiadores e opositores de Bolsonaro, neste contexto de polarização acentuada que o país vive desde a sua chegada ao Palácio do Planalto, em 2019.

“As pessoas não tem [sic] entendido o pq que Bolsonaro tem tomado um copo de leite durante as lives dele. O que é um claro aceno e cumprimento aos grupos da extrema direita”, escreveu o dono de uma conta no Twitter.  “@STF_oficial vamos lá. Difamação e associando imagem do presidente a um grupo extremista sem prova nenhuma. Aposto q vão fazer nada. Se for para difamar ou falar mentiras contra o presidente pode”, postou um apoiador de Bolsonaro.

Enfim, por aí tem seguido a discussão entre simpatizantes de presidente e seus opositores, deixando em segundo plano o principal: a campanha dos produtores pelo aumento do consumo de leite e pela valorização do setor. Os pecuaristas leiteiros têm um único interesse com a ação #desafiodoleite: a promoção do produto. A iniciativa não tem qualquer viés político-partidário. O objetivo é um só: apoiar a cadeia produtiva leiteira. Na verdade, a campanha não é nova: começou meses atrás e foi retomada agora.

Atribuir a Bolsonaro, neste caso, qualquer motivação política, ainda mais relacionada a grupos de supremacia branca, é sonegar a verdade factual, algo que não faz parte da prática jornalística do AGROemDIA. Aliás, por aqui, obedecemos a três pilares: respeito à verdade factual, ética e honestidade, seja na produção de conteúdo próprio ou no compartilhamento de textos de outras fontes. E, quando compartilhamos alguma matéria de outros veículos, checamos a informação, além de identificar a fonte originária da notícia.

Por isso, o AGROemDIA, um dos primeiros veículos a noticiar o apoio do presidente ao #desafiodoleite, considera essencial esclarecer a seus leitores que o gesto de Bolsonaro ao cumprimentar os produtores leiteiros e tomar um gole do produto visou somente promover o produto. O resto é rusga de redes sociais e interpretações “jornalísticas” de quem esqueceu fazer a lição básica: a de apurar a informação.

A prevalecer a lógica de parte do que circula nas redes sociais e em alguns sites da chamada imprensa progressista, todos que aceitaram – ou aceitarem – participar do #desafiodoleite também podem ser considerados supremacistas brancos. Por favor, nos poupem. Ou melhor, respeitam os produtores de leite, que há cerca de seis anos enfrentam uma crise econômica, agravada por problemas climáticos e agora pela pandemia da covid-19. Ah, e não esqueçam: bebam mais leite.  É um alimento saudável e de qualidade.

 

No total, 57 prêmios vieram para o Brasil; produção do queijo mineiro já é reconhecido como patrimônio cultural imaterial.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER