Obrigatoriedade faz parte da lei de N° 4.792, sancionada pelo governador Marcos Rocha na semana passada.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Laticínios de Rondônia terão que ingressar Conseleite, diz lei — Foto: Henrique Carneiro/Divulgação

Todos os laticínios de Rondônia terão que aderir, em no máximo 30 dias, a participação no Conselho Paritário de Produtores e Indústrias de Leite do Estado de Rondônia (Conseleite-RO). A obrigatoriedade faz parte da lei de N° 4.792, sancionada pelo governador Marcos Rocha na semana passada.

Desde a publicação da lei, aprovada também pela Assembleia Legislativa de Rondônia (ALE-RO), “ficam todos os laticínios obrigados a aderirem ao Conseleite e ainda fornecer as informações solicitadas”.

A proposta da lei foi feita pelo deputado Lazinho da Fetragro (PT), que diz estar preocupado com a cadeia produtiva do leite no estado e uma possível crise no setor, principalmente diante do atual preço pago pelo litro de leite pelos laticínios aos produtores rurais.

Com a participação dos laticínios no Conseleite, Lazinho acredita em uma maior transparência na análise do mercado leiteiro e ainda “a disponibilização de valores de referência a serem pagos na matéria prima leite, considerando o preço de custo do produtor, o custo da indústria e os valores de venda do leite e seus subprodutos; mostrar com clareza a capacidade de pagamento da indústria; e fornecer aos produtores um referencial para a negociação do preço a ser pago pelo leite”.

Segundo a nova lei estadual, as empresas de laticínios que não aderirem ao Conseleite terão os incentivos e benefícios fiscais suspensos pelo estado. A suspensão vai permanecer até o laticínio entrar, de fato, no conselho.

As empresas de laticínios têm 30 dias de prazo para efetivarem a adesão no Conseleite.

Inventados para aliviar o trabalho nas salas de cura, eles ajudam na metamorfose dos queijos suíços.”

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER