Linha de produtos MPasto, da Mosaic Fertilizantes, permite maior aproveitamento dos nutrientes e aumento da produtividade em propriedades de pequeno, médio e grande portes
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
FORNECIDO O economista agrícola sênior da Westpac, Nathan Penny, diz que as expectativas estão aumentando para os preços do leite na fazenda para a próxima estação.
A fertilização do solo é essencial para recuperação das áreas (Foto: Getty Images)
A fertilização do solo é essencial para recuperação das áreas (Foto: Getty Images)

No Brasil, segundo a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), cerca de 95% da carne bovina é produzida à pasto, o que representa uma área de mais de 167 milhões de hectares. Contudo, grande parte dessa área é afetada por degradação em algum nível, seja ela causada por fatores climáticos ou por características do solo, como o excesso de alumínio tóxico e variações no pH, por exemplo.

Para contribuir solução desses problemas que afetam as pastagens e, consequentemente, a rentabilidade da produção de bovinos, a empresa Mosaic Fertilizantes vem trabalhando desde 2020 com a tecnologia MPasto, uma linha de produtos com várias soluções, para atender todas as situações à campo, desde o pequeno, médio e grande porte.

“O modo como o pecuarista trata sua pastagem tem um impacto direto na qualidade e, dessa maneira, vai ter um efeito direto nos animais que estão alojados nessa área”, explica Fábio Ferrari, especialista da Mosaic Fertilizantes. Segundo Ferrari, a fertilização é indicada para produção de gado de corte e de leite, e pode aumentar os ganhos em 50% em carne e carcaça por hectare, dependendo da dose aplicada.

“Se o pecuarista produz mais arrobas de carcaça por hectare, a rentabilidade do sistema é maior. Por isso, é importante lembrar que pastagem não é tudo igual, e o animal responde positivamente quando realizamos a adubação”, destaca o especialista. Os dados da Embrapa estimam que aproximadamente 92 milhões de hectares estejam degradados e necessitando de alguma intervenção para reverter o estado em que se encontram.

Ferrari alerta que, embora a fertilização seja uma grande aliada, ela precisa ser feita de maneira cuidadosa, partindo das necessidades de cada sistema de produção. Por exemplo, os produtos da Mosaic são divididos em três categorias: MPasto Max, MPasto Nitro e MPasto Super, e buscam mitigar alguns dos problemas mais encontrados na pecuária nacional.

Confira na lista a seguir um resumo de cada solução:

Entenda a linha MPasto

• Nutrição completa

MPasto Max é um fertilizante fosfatado com fonte de nitrogênio, fósforo e duas formas de enxofre, na forma elementar e de sulfato. O produto fornece os nutrientes mais importantes para o melhor desenvolvimento e crescimento das pastagens. Garante nutrição adequada para aumentar a produção e qualidade da forragem. Como consequência, melhora o consumo e o desempenho animal.

• Fertilização nitrogenada

MPasto Nitro é um fertilizante nitrogenado de alta concentração à base de ureia estabilizada com inibidor de uréase (NBPT) . A aplicação do produto resulta em melhor rendimento e eficiência das aplicações por minimizar perdas por volatilização, o que aumenta a produção e a qualidade das pastagens e garante uma nutrição adequada das pastagens.

• Foco no condicionamento do solo

MPasto Super é um fertilizante fosfatado com cálcio solúvel e com enxofre que contribui para o condicionamento do solo em subsuperfície e melhora o desenvolvimento das raízes, tanto em profundidde e volume. O produto garante alta disponibilidade de fósforo para a forragem, bem como o cálcio e enxofre que melhora o desenvolvimento radicular, o que aumenta a persistência e resistência a períodos secos e veranicos durante o ano.

A adubação correta dos pastos pode deixar a produção mais saudável (Foto: Getty Images)
A adubação correta dos pastos pode deixar a produção mais saudável (Foto: Getty Images)

Para quem tem dúvidas sobre como começar, o especialista da Mosaic Fertilizantes alerta para o calendário de adubação, que precisa considerar especialmente a análise de solo da propriedade. “É preciso coletar amostras em diferentes pontos da área ou da fazenda que sejam representativas e permitam fazer uma análise de solo para ver a deficiência ou não dos nutrientes, em um laboratório de renome e certificado”, orienta.

É a partir dessa análise de solo que os especialistas podem sugerir a dose e definir o fertilizante mais recomendado para a área. “Uma dica para quem quer começar a adubar a propriedade é dividir a fazenda em pequenos lotes. Se for uma área de 100 hectares, por exemplo, dividir em cinco ou seis partes e começar em um dos espaços selecionados, passando pela análise do solo, a correção com calcário ou gesso, e depois iniciar a adubação com nitrogênio, fósforo, potássio e outros nutrientes”, destaca.
Desse modo, conclui Ferrari, o produtor consegue aumentar a produtividade e melhorar os índices zootécnicos na propriedade em um curto espaço de tempo. “Em poucos anos, a fazenda toda estará corrigida e adubada, o que é o cenário ideal.”

“Enxugar gelo”. Você já sentiu essa interminável sensação?

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER