Os agricultores e produtores rurais de Marabá podem contar com apoio da Secretaria Municipal de Agricultura (Seagri) em relação a projetos, suprimentos e capacitação para fomentar e ampliar a produção.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Uma das áreas de atuação da Seagri é junto aos avicultores. O projeto de apoio à atividade iniciou em 2018 com 40 famílias, as quais receberam kits com lona, comedouro, bebedouro, tela, ração e 100 pintos. Em 2022, a partir de maio, a estimativa é que 200 famílias sejam atendidas com a entrega de novos kits. Segundo a secretaria, o resultado dos investimentos aparece após três meses com os frangos caipiras que dão seguimento à produção.

“Nós trabalhamos nas duas linhas. O produtor que não trabalha com avicultura, a gente dá um curso de capacitação, e o produtor que já trabalha dentro dessa linha, também fazemos uma capacitação, porém mais básica. Conseguimos atender produtores que já têm o projeto, damos uma reestruturada também aos que não possuem”, pontua o secretário adjunto de agricultura, Marcos Eleres.

Marcos Paulo Eleres, Secretário Adjunto de Agricultura

Na área da piscicultura, a Seagri adquiriu recentemente uma escavadeira hidráulica, o que já possibilitou, em 2021, a construção de 30 tanques para criação de peixes. Para 2022,, o projeto iniciará com o verão amazônico. No programa de piscicultura, o produtor interessado recebe, além do tanque escavado, os alevinos (peixes pequenos), ração, aerador (para oxigenação dos tanques) e a rede. O projeto trabalha principalmente com o tambaqui. A intenção da secretaria é atender 70 famílias.

Uma novidade da Seagri é que agora também são feitos tanques suspensos, que não necessitam de escavação. Apesar de terem um custo maior, não causam impactos ambientais e ajudam a aumentar a produção de peixes. Nesse primeiro momento, dez famílias interessadas e aptas receberão o novo projeto.

Em relação à produção de gado leiteiro, a Seagri trabalha com o projeto de pastejo rotacionado, a fim de garantir pasto em pequenas propriedades. O produtor recebe sistema de irrigação, motor, bomba, canos, microaspersor, sementes e cerca elétrica. O projeto visa aumentar a cadeia leiteira do município, principalmente nas regiões dos Projetos de Assentamento (PAs) Lajedo I, Lajedo II e Cedrinho, atendendo 40 famílias para fomentar a atividade na região, que ganhará um laticínio.

O projeto de inseminação também é voltado para a produção do gado leiteiro, a fim de melhorar a genética dos animais e aumentar a produção de leite. Nesse sentido, a Seagri está investindo em inseminação artificial com capacitação aos produtores, para eles próprios realizarem a inseminação no gado. No primeiro momento, o projeto também visa atender a região do Sororó. Serão duas mil doses de sêmen distribuídos aos produtores.

Nesse segmento, haverá uma parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), entidade ligada à Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA).

Para ter acesso aos projetos de fomento, os agricultores precisam solicitar, por meio de ofício, junto à Seagri. A partir disso, os técnicos responsáveis fazem uma visita à propriedade para analisar se o interessado está apto para participar do projeto. Esses projetos acontecem por meio das associações. Os produtores se cadastram e as associações encaminham o ofício com a solicitação.

Segundo Marcos Eleres, a gestão municipal tem realizado investimentos importantes. A secretaria conta com 20 tratores e adquiriu uma retroescavadeira. Além disso, há projetos de melhoramento de solo como um laboratório específico.

Em outras áreas, a Seagri segue com o viveiro para um milhão de mudas, programas voltados para hortas nas zonas rural e urbana, além de apoiar o escoamento da produção e as feiras livres que, atualmente, são 12 no município. “A gente sempre convida os produtores para comparecerem à secretaria de agricultura. Não há burocracia em adquirir os programas. É feito um ofício. Só que o produtor tem que entender que há a visita técnica. Então, é por isso que os nossos programas dão certo porque o técnico vai e faz o filtro dos aptos e não aptos”, declara o secretário adjunto.

Serviço

A Seagri está localizada na Rua do Bosque, Agrópolis do Incra, ao lado do Colégio Alvorada, núcleo Cidade Nova.

Desestimulados com o mercado leiteiro em Goiás, produtores abandonam a produção e preço do leite dispara.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER