Agroindústrias temem prejuízos e perda de mercadorias em estoque por causa da redução de transporte de cargas em MT – eDairyNews Últimas notícias
Brasil |30 marzo, 2020

Leite | Agroindústrias temem prejuízos e perda de mercadorias em estoque por causa da redução de transporte de cargas em MT

Com as atividades paradas em muitos comércios que usam os derivados de leite, principalmente queijos, as indústrias venderam um volume bem menor de produtos.

Por Dejane Arnhold, TV Centro América

 


Indústrias de laticínios no estado temem perder estoque durante pandemia — Foto: Reprodução/TVCAIndústrias de laticínios no estado temem perder estoque durante pandemia — Foto: Reprodução/TVCA

Indústrias de laticínios no estado temem perder estoque durante pandemia — Foto: Reprodução/TVCA

As agroindústrias do estado esperam que as vendas de produtos voltem a ser feitas, caso contrário, muita mercadoria será perdida nos estoques. No caso da cadeia leiteira, isso pode afetar o produtor.

Nos laticínios, as câmaras frias ficaram cheias de mercadorias durante a semana. Com as atividades paradas em muitos comércios que usam os derivados de leite, principalmente queijos, as indústrias venderam um volume bem menor de produtos.

De acordo com o presidente do Sindicato das Indústrias de Laticínios (Sindlat), Leonir Chaves, em Mato Grosso existem 40 laticínios, entre pequenas, medias e grandes empresas. Juntos, eles compram o leite produzio por mais de 35 mil produtores rurais.

«A maioria dos nossos clientes fecharam. Os distribuidores que não fecharam, não tem pra quem vender, já que os restaurantes, mercados, pizzarias e outros estabelecimentos estão fechados», afirma.

Indústria de laticínios está com o estoque parado  — Foto: Reprodução/TVCAIndústria de laticínios está com o estoque parado  — Foto: Reprodução/TVCA

Indústria de laticínios está com o estoque parado — Foto: Reprodução/TVCA

Uma cooperativa em Araputanga, no noroeste do estado, reúne 900 criadores. Os estoques também ficaram cheios. A empresa recolhe diariamente 125 mil litros de leite e a produção não foi interrompida.

No campo, a lida com as vacas não parou.

Outra situação que comprometeu o campo foi a redução de caminhões nas estradas.

«Nos últimos dias os produtores passaram por momentos de apreensão, devido a incerteza da chegada dos produtos. Muitos produtores estão aplicando fungicida nas suas lavouras de milho e precisam do produto», explica Lucas Costa, diretor da Aprosoja.

Em algumas regiões, como no leste do estado , os produtores ainda colhem a soja. Alem disso os insumos nas fazendas chegam de caminhão.

Os problemas no transporte de cargas afeta a chegada dos insumos agrícolas — Foto: Reprodução /TVCAOs problemas no transporte de cargas afeta a chegada dos insumos agrícolas — Foto: Reprodução /TVCA

Os problemas no transporte de cargas afeta a chegada dos insumos agrícolas — Foto: Reprodução /TVCA

De acordo com o Instituto Matogrossense de Economia Agropecuária (Imea) a cotação média da soja, durante a semana, chegou a R$ 83 no estado.

Apesar do aumento nos preços do grão, o dólar acima de R$ 5 exige analise do produtor na hora de comprar os insumos para a próxima safra de soja.

Tópicos |
Aviso legal sobre propriedade intelectual em conteúdo digital

Todas as informações contidas nestas páginas que NÃO são de propriedade da eDairy News e NÃO são consideradas "de domínio público" pelos regulamentos legais são marcas registradas de seus respectivos proprietários e reconhecidas por nossa empresa como tal. A publicação no site eDairy News é feita com a finalidade de coletar informações, respeitando as normas contidas na Convenção de Berna para a Proteção das Obras Literárias e Artísticas; na Lei 11.723 e demais normas aplicáveis.

Qualquer reivindicação decorrente das informações contidas no site eDairyNews será submetida à jurisdição dos Tribunais Ordinários do Primeiro Distrito Judicial da Província de Córdoba, República Argentina, com sede na cidade de Córdoba, com exclusão de qualquer outra jurisdição, incluindo a Federal.

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Notas relacionadas