"> Aliança Láctea Sul Brasileira mira produção para exportação - eDairyNews-BR
Reunião foi realizada na sede do Sistema FAEP, em Curitiba.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Reunião foi realizada na sede do Sistema FAEP, em Curitiba.

A Aliança Láctea Sul Brasileira – entidade criada para fortalecer a cadeia produtiva do leite – apresentou, nesta segunda-feira (18), seu programa de trabalho para 2019. O objetivo é assentar a cadeia produtiva em eixos, como tecnologia, qualidade, organização setorial, logística e aspectos tributários, com foco em produzir um leite com padrão de exportação.

“Temos que apertar os elos da cadeia produtiva e nivelar a produção para cima, produzindo um leite de qualidade, a um custo competitivo e com organização logística capaz de atender contratos”, disse o coordenador geral da Aliança, Airton Spies.

“Ao sermos competitivos para exportar, também vamos ser competitivos para rechaçar as importações que tanto mal fizeram a nossa cadeia em 2018, por exemplo”, completou.

Criada em 2014, a Aliança Láctea Sul Brasileira congrega integrantes do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul – entre os quais, representantes de órgãos de defesa sanitária, pesquisa agropecuária, extensão rural e setor privado. Juntos, os três estados respondem por 40% da produção leiteira do Brasil.

“Temos que ter uma agenda concreta e conjunta. Os três estados precisam agir conjuntamente e não há oportunidade melhor do que agora, com a ministra da Agricultura, Teresa Cristina, preocupada com a nossa cadeia”, disse o presidente da comissão de bovinocultura de leite da FAEP, Ronei Volpi.

Participaram da reunião o secretário de Agricultura e Pesca de Santa Catarina, Ricardo de Gouvêa, e o secretário de Agricultura e Abastecimento do Paraná, Norberto Ortigara, que também destacaram a importância de integração na busca de um padrão de exportação. “Precisamos perseguir níveis cada vez mais elevados. Temos essa visão clara e queremos fortalecer isso”, apontou Ortigara.

Ao longo da reunião, o chefe da Embrapa Leite, Paulo Carmo Martins, palestrou sobre a viabilidade de o Brasil se tornar exportador de leite e os desafios para que isso se consolide.

É a primeira vez na história que uma carga de leite brasileiro é exportado para a China. Cooperativa gaúcha é a responsável pelo feito.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

newsletter

ASSINE NOSSO NEWSLETTER