Os preços da matéria-prima (leite cru) subindo no campo e a baixa oferta nas principais bacias leiteiras deram sustentação às cotações dos lácteos nas indústrias em maio.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

 

Os preços da matéria-prima (leite cru) subindo no campo e a baixa oferta nas principais bacias leiteiras deram sustentação às cotações dos lácteos nas indústrias em maio.

Segundo levantamento da Scot Consultoria, no atacado, o leite longa vida (UHT) apresentou significativa alta em maio, de 3,9% na comparação mensal. Os preços dos queijos, da manteiga e do creme de leite também subiram, respectivamente, 2,0%, 0,7% e 3,6%. Para o leite em pó, o aumento foi menos intenso, de 0,7% no mesmo período.

Na comparação ano a ano, o leite UHT está custando 17,9% mais este ano, e na média dos produtos pesquisados pela Scot Consultoria, o incremento ano a ano foi de 15,0% no atacado.

No mercado varejista, os preços dos lácteos subiram sutilmente. Mesmo com a alta no atacado, a situação da demanda interna, patinando, não permitiu grandes reajustes.

Considerando a média de todos os produtos pesquisados em São Paulo, na comparação mês a mês, houve alta de 0,1% nos supermercados.

O preço do leite longa vida (UHT) subiu 0,2% em maio, na comparação com o mês anterior. Frente ao ano passado, a diferença é de 14,4%.

Campanha consumo de leite – A Campanha da 1ª Semana do Leite, prevista para ocorrer na primeira quinzena de novembro, foi o tema central da 18ª Reunião da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Leite e Derivados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), realizada nesta sexta-feira (17).

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER