As importações de lácteos tiveram um ligeiro aumento na comparação mensal, segundo a Secretaria de Comércio Exterior (Secex)
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

As importações de lácteos tiveram um ligeiro aumento na comparação mensal, segundo a Secretaria de Comércio Exterior (Secex)

Em abril, o incremento foi de 1,6%. Os gastos ficaram praticamente estáveis, com alta de 0,05%, frente ao mês anterior.

O principal produto adquirido no período foi o leite em pó, que teve aumento de 5,8% no volume em relação ao mês anterior.
Os principais fornecedores, em volume, seguem sendo a Argentina e o Uruguai, na sequência de importância, que juntos representaram 87,4% do total.
Apesar da redução na comparação mensal, nos primeiros quatro meses de 2019 o volume importado aumentou 29,1% na comparação anual.

No parcial de maio, até o dia 26, a média diária foi de US$2,11 milhões em gastos com as importações de lácteos, aumento de 18,7% na comparação mensal e queda de 2,7% em relação a igual período do ano passado.

Com relação às exportações, estas tiveram forte recuo em abril na comparação mensal. O volume caiu 43,5% e os gastos 43,0% frente a março último. A menor produção de matéria-prima no território nacional colaborou para o recuo nos embarques.

A companhia de lácteos Fonterra, da Nova Zelândia, obteve lucro de 583 milhões de dólares neozelandeses (US$ 341 milhões), depois de impostos, no ano fiscal 2022, encerrado em 31 de julho. O resultado representa queda de 3% ante o período anterior.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER