Segundo Bruno Pascoal da Auster Nutrição Animal, a fase de aleitamento é a de maior eficiência alimentar
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Segundo Bruno Pascoal da Auster Nutrição Animal, a fase de aleitamento é a de maior eficiência alimentar

Todo bom produtor de leite sabe que para ter vacas leiteiras saudáveis

e produtivas no plantel é preciso investir na criação de bezerras.

Segundo Bruno Pascoal da Auster Nutrição Animal, “a fase de

aleitamento é a de maior eficiência alimentar. Neste período o animal

forma as principais estruturas relacionadas à sua sobrevida e

desempenho. Por isso, as bezerras que recebem melhores cuidados

nutricionais, de sanidade e bem-estar desde cedo responderão, em médio

e longo prazo, com maior produção de leite”.

 

O cuidado com a bezerra começa na oferta do colostro. Esse alimento é

a mais importante forma de transmissão de imunidade da vaca para a

cria, já que em bovinos não ocorre a transmissão de imunidade

transplacentária. “Trata-se, portanto, do primeiro alimento do animal e

deve ser ofertado o mais próximo possível do momento do nascimento,

com o volume de pelo menos 10% do seu peso vivo. Um animal que nasce com

40 kg, por exemplo, deve receber pelo menos quatro litros de colostro”,

orienta Pascoal.

 

Além do volume ofertado e da agilidade no manejo pós-nascimento da

bezerra, o produtor deve se atentar à qualidade do colostro. Usando

ferramentas simples de aferição de densidade, como um colostrômetro

ou um refratômetro, o produtor consegue checar a densidade e assim

garantir quantidade de imunoglobulinas presentes no colostro. “É

possível ainda tirar a prova da eficiência do processo de colostragem

fazendo aferição da concentração de proteína sérica no soro

sanguíneo da bezerra por meio de um refratômetro” acrescenta Pascoal.

 

CONSUMO DE LEITE E GANHO DE PESO

 

O consumo de leite é essencial para a bezerra recém-nascida. Assim

como qualquer mamífero, ela é 100% dependente do leite para sobreviver

e é através dele que receberá proteínas, gorduras e minerais

necessários na primeira fase de vida. “Antes das primeiras três

semanas de vida, o animal não é capaz de digerir outra fonte de

alimento”, esclarece Pascoal.

 

A nutrição é considerada a mais importante quando falamos sobre o

ganho de peso, mas está intimamente atrelada à saúde, ao manejo e ao

bem-estar. “Um animal que tem todas essas engrenagens funcionando pode

chegar facilmente entre 900 gramas e 1 kg de ganho médio por dia,

enquanto outros com deficiência em algum desses pontos pode ter

desempenho inferior a 500 gramas de ganho médio diário. Para isso, é

importante que o produtor sempre acompanhe de perto o manejo

nutricional, de saúde e bem-estar e meça periodicamente o ganho de

peso dos animais. O manejo intensivo na nutrição, com aleitamento e

suplementação direcionados para melhoria de desempenho, aumenta

substancialmente o ganho de peso das bezerras, melhorando seu desempenho

e tornando-as mais produtivas no futuro”, orienta o especialista.

 

A Auster Nutrição Animal conta, em seu portfólio, com Nattimilk

Protein Plus. “Esse substituto lácteo direciona a dieta das bezerras

para a melhor formação de massa magra, ou seja, o crescimento de

tecidos osteomusculares e redução da deposição de gordura em

estruturas importantes para o crescimento e desempenho desses animais.

Ele ajuda a ter bezerras com alta performance” explica Pascoal. O

Nattimilk Protein Plus conta em sua composição com proteína de origem

láctea de altíssima digestibilidade, minerais, vitaminas e

probióticos, importantíssimos para o crescimento, formação de

tecidos, imunidade e desempenho do animal.

 

O especialista reforça que a saúde e o bem-estar do animal também

dependem de outros fatores, como higiene de instalações e equipamentos

e manejo de forma geral. “Caso todos esses fatores extras estejam bem, a

bezerra bem nutrida está protegida contra doenças, como diarreias e

pneumonias”, finaliza o técnico da Auster.

Inventados para aliviar o trabalho nas salas de cura, eles ajudam na metamorfose dos queijos suíços.”

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER