Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Começa nesta sexta-feira (1º/5) a primeira etapa da campanha de vacinação contra febre aftosa no Distrito Federal. Até o dia 31 de maio, a expectativa é de imunizar cerca de 82 mil bovinos e bubalinos em 2.800 propriedades no DF. A vacinação deve ser comprovada até 10 de junho de 2020.

Devido à pandemia do novo coronavírus e as orientações de contenção do vírus foram estabelecidas novos procedimentos para compra das vacinas nas agropecuárias. A venda poderá ser feita por canal de comunicação não presencial, como telefone e e-mail, com entrega diretamente nas propriedades rurais ou retirada na loja, sem sair do veículo (sistema drive-thru).
O sindicato rural, cooperativas, caminhão de leite, entre outros, também estão autorizados a fazer as entregas. Em todos os casos, o transporte deverá ser feito em caixas de isopor com gelo, lacrado, para conservação das vacinas na temperatura ideal.
As declarações da vacinação deverão ser feitas de forma on-line, preferencialmente por meio do Sistema Sidagro Produtor, no caso de vacinas adquiridas em revendas autorizadas no Distrito Federal. Também será possível comprovar a vacinação por email e WhatsApp, devendo ser enviada foto ou PDF do formulário preenchido e assinado e da nota fiscal de compra das vacinas. Não haverá recebimento de declarações presencialmente nos escritórios da Defesa Agropecuária da Secretaria de Agricultura do DF.
Para que o rebanho fique protegido contra febre aftosa, os criadores devem manter a vacina e a seringa no gelo até o momento da aplicação. Além de escolher a hora mais fresca do dia para reunir o gado e usar agulhas novas e limpas para vacinação, de preferência do tamanho 15mm por 18mm. O frasco deve ser agitado antes de aplicar a vacina em cada animal e a aplicação deve ser efetuada na tábua do pescoço, embaixo da pele.
De acordo com a secretaria de Agricultura, em 2019 foram vacinados quase 99% dos bois, vacas e búfalos no Distrito Federal contra febre aftosa. Para alcançar uma cobertura vacinal como essa em 2020, durante uma situação tão particular como a pandemia, é necessária uma maior organização, adaptação e envolvimento, tanto por parte da Defesa Agropecuária quanto dos criadores de bovinos e bubalinos.
É importante manter os rebanhos vacinados e livres da febre aftosa. O surgimento da doença poderá acarretar consequências econômicas muito sérias, não apenas para o DF, mas para todo o país como, por exemplo, redução na produção de carne e leite, diminuição das exportações, menor geração de emprego e renda, menos alimentos na mesa dos brasileiros e prejuízos econômicos para a pecuária.
Confira os canais de solicitação de cadastro ao Sidagro Produtor e declaração de vacinação contra febre aftosa nesta campanha:
 
Unidades de atendimento de Brazlândia e Gama 
WhatsApp: 3484-3484
e-mail: nop_oeste@seagri.df.gov.br
 
 
Unidades de atendimento de Planaltina, Sobradinho e Rio Preto
WhatsApp: 3389-3738
E-mail: nop_leste@seagri.df.gov.br
Unidade de atendimento geral
E-mail: falecomadefesa@seagri.df.gov.br

Tendência é que falte matéria-prima com possível desistência da atividade leiteira

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER