A situação crítica dos produtores de leite de Rondônia foi abordada pelo deputado estadual Adelino Follador (DEM-Ariquemes).
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Fonte: G1 Globo

Projeto de Lei (270/2014) do saudoso senador Odacir Soares, foi sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido,) esta semana, denominando a ponte sobre o rio Madeira, na BR 319 em Porto Velho, na ligação com Manaus. Odacir morreu em setembro de 2019 e foi um dos políticos mais influentes de Rondônia no Congresso Nacional, onde ocupou cargos de 1º secretário e 2ª secretário da Mesa Diretora. Odacir era líder do governo Fernando Collor e defendeu o presidente, que renunciou ao mandato, sempre com argumentos sólidos sobre as ações de Collor. Após 7 anos a proposta de Odacir foi aprovada tendo como relator o deputado federal Léo Moraes (Podemos-RO).

 A situação crítica dos produtores de leite de Rondônia foi abordada pelo deputado estadual Adelino Follador (DEM-Ariquemes). Segundo o parlamentar, que levou o caso ao Ministério Público (MP) estadual, o setor produtivo de leite do Estado é refém dos laticínios, que ditam as regras de produção e comercialização do produto e o preço é cartelizado, “sem que haja uma ação efetiva das autoridades para contrapor a esta transgressão”. Segundo o deputado, os laticínios trabalham para que os concorrentes se unam, “para eliminar a livre-concorrência”, o que só beneficia “as empresas cartelizadas”. Em Minas Gerais o litro de leite á pago aos produtores a R$ 2,47, Rondônia a R$ 1,67 e “não há conversa, é pegar ou largar. Este é o modus operandi do cartel”, diz Follador.

Estudos apontam altas de 45,32% no café e de 31,40% no açúcar. Padarias lutam para não repassar preços aos clientes.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

newsletter

ASSINE NOSSO NEWSLETTER