Com EDAIRYNEWS visitámos o CDV, um laboratório 100% argentino com mais de 35 anos de experiência em diagnóstico, investigação, desenvolvimento e produção em grande escala de vacinas para a saúde animal.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
O CDV é o único laboratório que produz produtos veterinários que possui seu próprio centro de diagnóstico, especializado em doenças de reprodução e produção, o que os coloca na vanguarda das doenças em diferentes regiões do país.
O CDV é o único laboratório que produz produtos veterinários que possui seu próprio centro de diagnóstico, especializado em doenças de reprodução e produção, o que os coloca na vanguarda das doenças em diferentes regiões do país.O CDV é o único laboratório que produz produtos veterinários que possui seu próprio centro de diagnóstico, especializado em doenças de reprodução e produção, o que os coloca na vanguarda das doenças em diferentes regiões do país.

 

O CDV faz parte do grupo alemão IAS Corporation desde 2008, presente em 30 países ao redor do mundo, permanecendo inteiramente uma empresa argentina, e, claro, pertence à Rede de Laboratórios SENASA.

Fomos recebidos na Planta II, que fabrica exclusivamente a Vacina contra Febre Aftosa, e que é a mais moderna da região e a última e mais nova que foi construída no mundo. Com um investimento de USD 40 milhões em uma área de 4.700 m2 e uma capacidade de produção de mais de 40 milhões de doses de vacinas quadrivalentes.

O equipamento é de última geração e alto grau de automatismo. Esta planta possui Biossegurança Nível 4 OIE e cumpre todas as Normas de Higiene, Segurança e Gestão Ambiental. Seus padrões de qualidade de classe mundial são os mais altos.

A fábrica funciona 24 horas por dia, 7 dias por semana, 365 dias por ano. Seus processos não podem ser interrompidos por um minuto, porque se isso acontecesse, o status de biossegurança seria perdido.

 

 Juan Roo - Gerente General de CDV .jpg
Juan Roo – Gerente Geral do CDV

 

Atualmente, o CDV concluiu a exportação do primeiro lote de vacinas contra febre aftosa para a Indonésia, após um surto ter sido detectado naquele país em maio de 2022, após 36 anos. Este primeiro lote foi de 1.250.000 doses, de um total de 7.000.000 a serem enviadas.

 

Fernando Matticoli - Director Comercial de CDV
Fernando Matticoli – Diretor Comercial do CDV

 

Uma das características que o CDV mais se orgulha é seu Serviço Técnico. Profissionais que trabalham em conjunto com os pecuaristas e orientadores veterinários de cada estabelecimento, para alcançar a eficiência produtiva dos rebanhos por meio da prevenção e diagnóstico.

Este sistema de atendimento técnico suporta a cadeia comercial por meio de treinamento e assessoria, diagnóstico, transferência, tecnologia para o campo.

Vimos números que nos afetaram. Porque espera perceber como está ao alcance continuar crescendo. Quantas vacinas devem ser aplicadas a 53 milhões de bovinos em um Plano Básico de Saúde, sem contar a Febre Aftosa? Aproximadamente 300 milhões de doses. E quantas doses são aplicadas na Argentina? Aproximadamente 120 milhões.

Em relação à febre aftosa, mais de 300 entidades de saúde aplicam 83 milhões de doses por ano, em duas campanhas. 75% das doses são aplicadas em Buenos Aires, Santa Fé, Córdoba, Entre Ríos e Corrientes.

Na Argentina existem 2 produtores de vacina contra febre aftosa e o CDV ocupa 25% do mercado.

Saúde Inteligente. Vacinar é uma decisão inteligente

Com as mesmas vacas, o desmamar pode ser melhorado em 10 pontos. Hoje temos 17.500.000 bezerros, o que corresponde a um desmaseamento de 74%.

Bem, nós poderíamos ter, com o mesmo número de mães, 2.300.000 bezerros a mais por ano. Isso significa que com maior prevenção vamos conseguir mais carne e mais leite, por um custo insignificante. É, em última análise, apenas uma decisão inteligente.

 

Mas o que é uma vacina? O que ele está fazendo? E como é feito? Para entendê-lo melhor, vamos começar diferenciando drogas das vacinas.

 

Uma droga é a mistura de um ingrediente ativo, e um veículo, que é embalado e depois de alguns controles entra no mercado. É usado para curar uma doença ou aliviar uma sintomatologia.

Para preparar uma vacina, toda vez que um lote é feito, é um novo processo, que começa do zero. Em cada frasco, há vírus e bactérias, com os quais é procurado para despertar o sistema imunológico.

Para produzir um lote, você pega um vírus, ou uma bactéria viva, e o cultiva no meio necessário. Um vírus é um parasita e precisa de uma célula; uma bactéria é uma entidade por si só. Você tem que cultivá-lo em um meio que é enriquecedor, desenvolvê-lo inativado, reduzi-lo e concentrar-o, misturá-lo com um adjuvante e empacotá-lo.

Em seguida, aplique-o a um animal, esperando que ele acorde seu sistema imunológico efetivamente, e isso é feito todas as vezes, com cada lote que é fabricado.

Uma fábrica de vacinas ou uma planta biológica tem uma complexidade maior que a da produção de um medicamento, e também tem um efeito muito melhor: previne a doença.

 

Nicolás Palacio - Coord. de Servicio Técnico de CDV
Mídia cultural

 

O CDV é o único laboratório que produz produtos veterinários que possui seu próprio centro de diagnóstico, especializado em doenças de reprodução e produção, o que os coloca na vanguarda das doenças em diferentes regiões do país. Produzem vacinas e reagentes diagnósticos específicos para cada problema.

Seu capital humano é de 244 pessoas, incluindo profissionais e outros colaboradores. Eles trabalham continuamente ao lado do pecuator, para gerar soluções que o ajudem a produzir mais. Eles estão orgulhosos do que fazem, e gostam de mostrá-lo. Eles nos fizeram sentir isso a cada passo que demos dentro da instalação como eles nos disseram os porquês, como e por quê.

Biossegurança

Nível 4 de biossegurança, para nos dar uma ideia, é um nível de Ebola. É procurado com esta regulamentação que o vírus não escapa. E como a planta lida com vírus vivos da febre aftosa, deve-se garantir que ela não saia de lá.

 

Carolina Lecce - Gerente de QA y Bioseguridad
Carolina Lecce – Gerente de QA e Biossegurança na CDV.

 

A área onde o vírus vivo é manipulado tem uma parede de concreto duplo de 30 cm, é realmente uma construção muito complexa, com todo um sistema de segurança para que, em caso de qualquer evento, como uma queda de energia, ou um ataque, o vírus não escape.

A fábrica foi projetada para funcionar sem soro. Além das células em que o vírus é cultivado, ele precisa de um meio para crescer, e geralmente esse meio é soro. O CDV desenvolveu um método produtivo que, em vez do soro de 10% como de costume para uma vacina, usa 1%. O que resulta em uma vacina ultra-purificada.

Os padrões de produção para medicina humana e medicina veterinária vão pelo mesmo caminho. O mundo já está começando a exigi-lo.

Tudo entra, nada sai.

O vírus da febre aftosa é transmitido além do ar, por sapatos, roupas, mãos, membranas mucosas. As pessoas que trabalham na área de segurança máxima, para entrar deixam todas as suas roupas e acessórios, passando por uma sequência de portas e vestiários, com pressão negativa. Entre o interior e o exterior há quase 70 pascals de diferença de pressão. Quando você abre uma porta, o ar é sugado, ao contrário da “área limpa” onde o ar empurra. E a pessoa que veio trabalhar e tem que sair, passa por um sistema de chuveiro, tendo deixado dentro de todas as roupas e elementos que ele usou dentro. O vírus, de lá, não sai.

Primera partida de vacunas a Indonesia
Primeiro lote de vacinas para a Indonésia

Como lhe disse alguns parágrafos acima, em maio houve um surto muito significativo de febre aftosa na Indonésia, o que preocupa a comunidade internacional, e especialmente a Austrália, que está muito perto. A Indonésia não se vacinava há mais de 30 anos, e eles saíram para procurar ao redor do mundo os fornecedores de vacinas. O CDV foi um dos 5 laboratórios escolhidos. Há duas semanas, o primeiro carregamento saiu com 1.250.000 doses, de 7.000.000 que serão enviadas daqui até o final do ano.

Essas produções não acomodam de um dia para o outro. Uma garrafa leva 3 ou 4 meses para fazer. Uma decisão rápida tinha que ser tomada, e em 2 meses fazer tudo o que fosse necessário. Uma vacina bivalente com o vírus O e o booster A24 foi enviado, o que é apropriado para as cepas que estão ocorrendo naquela área do planeta. Eles fizeram um registro de emergência para resolver o contingenciamento, mas já apresentaram toda a documentação para ser um dos fornecedores para os próximos anos.

O sistema de controle veterinário na Indonésia requer apoio e muita ajuda. Eles não têm o desenvolvimento da saúde que temos na Argentina. São 17.000.000 cabeças distribuídas em 17.000 ilhas, em 7.000.000 unidades produtivas. Na Argentina temos 53.000.000 cabeças em 200.000 unidades produtivas, para que tenhamos um panorama.

E aqui está uma das coisas que faz este laboratório orgulhoso e o diferencia das gigantes multinacionais: um serviço abrangente que fornece mais do que uma garrafa e seu conteúdo. Porque para garantir a eficiência da sua vacina, seu uso deve ser correto.

 

Nicolás Palacio - Coord. de Servicio Técnico de CDV
Nicolas Palacio – Coord. Serviço Técnico do CDV

 

Em relação à vacinação contra a febre aftosa na Argentina, estamos cobertos de ponta a ponta. Com as outras vacinas, estamos bem, mas estamos muito longe. No resto da região, a vacinação está sendo interrompida, e isso é um risco. Imunidade não é cumulativa em rodeios, então você deve ser vacinado a cada seis meses.

As vacinas, ao contrário das drogas, não deixam resíduos. O uso de vacinas está necessariamente a caminho de reduzir o uso de antibióticos e outras drogas, exceto em doenças que não possuem uma vacina para controlá-las.

E embora as drogas ainda sejam usadas preventivamente, é quase cultural, ela pretende abandonar essa prática.

Na agricultura há também antivacinas, e é um paradoxo porque o resultado disso é em detrimento da produção.

Na aplicação da tecnologia, o mercado pode ser segmentado em 2. Há aqueles que aplicam tudo e têm um desmasar de 80% a 90%, e há aqueles que não aplicam a tecnologia disponível e têm um desmaamento de 50%.

Se 100 ha de campo são semeados, 100 ha são colhidos. No entanto, se 100 vacas estão envolvidas, 100 bezerros ou 90 não são obtidos, e então por que o produtor está feliz? E por que o veterinário diz que está tudo bem para você tirar 45 bezerros? Será por “tradição”?

Mas a tradição não é fazer o que nossos avós fizeram, é fazer o que eles teriam feito com tudo o que temos disponível hoje.

Não é um fato menor que o negócio da pecuária para a carne está no domínio da fazenda, e não na produtividade. Esse pensamento deve ser migrado. “Com este frasco e mais alguns, teríamos um milhão de toneladas a mais de carne para exportar, no entanto, jogamos fora, ele morre”, disse Juan Roo, gerente geral.

Os produtores de leite sabem disso! Não é à toa que eles são a ala pecuária que mais aposta em tecnologia.

 

O CDV conta com uma equipe técnica que trabalha auxiliando produtores e veterinários, durante todo o processo de como essas ferramentas são utilizadas, pois a tecnologia está lá, e é importante saber como usá-la. Eles estão constantemente em turnê e conhecendo o que está acontecendo no campo, o que lhes permite ter informações em primeira mão sobre o que está acontecendo lá. Isso é muito bom não só para a equipe de vendas, mas também para a equipe de produção. O que dizer aos próprios usuários de seus produtos.

Planta III

A terceira fábrica exigirá um investimento planejado de US$ 60.008.000, e deverá estar operacional até o início de 2025.

 

CDV Se expande al mundo.
O CDV se expande para o mundo.

 

Eles incorporarão mais de 100 novos empregos aumentando a folha de pagamento em 44%. Por sua vez, o processo de construção exigirá aproximadamente 300 empregos diretos e indiretos.

O CDV se expande, e faz de novo na Argentina, podendo fazê-lo, por exemplo, no Uruguai, com todos os problemas que temos de conhecimento. “O laboratório é argentino, a matéria cinzenta é argentina e a sinergia produtiva é sempre muito melhor quando estamos perto, em vez de sermos espalhados pelo mudo, então decidimos fazê-lo aqui.”

Em um momento em que as exportações de lácteos dos EUA estão aumentando, acaba de ser anunciado que a Cúpula Mundial dos Laticínios (World Dairy Summit) será realizada em Chicago, de 16 a 19 de outubro de 2023.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER