Mudança foi decidida durante encontro com entidades do setor que participam da coleta de dados do Cepea
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Mudança foi decidida durante encontro com entidades do setor que participam da coleta de dados do Cepea

O Cepea informou hoje que deixará de calcular o valor bruto médio do leite a partir do ano que vem. A mudança foi decidida durante encontro com a Organização das Cooperativas do Brasil (OCB) e da Associação Brasileira de Laticínios (Viva Lácteos) no dia 5 de fevereiro última.

Segundo o Centro de Estudos, as entidades ressaltaram que as negociações do leite ao produtor devem ter como referência o preço líquido, o que confere maior importância a esse indicador em detrimento do valor bruto.

O encontro com OCB e Viva Lácteos teve como intuito avaliar os resultados do primeiro ano do Projeto Piloto, que definiu novas metodologias para o levantamento de preço aplicadas pelo Cepea desde janeiro do ano passado.

As entidades também apontaram a necessidade de expandir a amostra do levantamento, reforçar a padronização da coleta de dados, uma vez que a pesquisa do Cepea não utiliza preços negociados em contrato, e de promover a transparência nas informações divulgadas e na auditagem dos dados.

O Projeto Piloto se caracteriza pelo envio de informações de preços e de volumes negociados com produtores no mês anterior até o 5º dia útil do mês subsequente. Em contrapartida, o Cepea elabora uma prévia de mercado enviada aos participantes até o 10º dia útil, contendo informações de preços médios por estratos de produção e volumes negociados.

Atualmente, participam do Projeto Piloto 28 empresas/cooperativas associadas à OCB e à Viva Lácteos. Ao longo de 2018, o volume amostrado por essa pesquisa em GO, MG, SP, PR, SC e RS representou, em média, 26% do total inspecionado nesses respectivos estados.

Em novembro, o preço do leite registrou nova queda em Minas Gerais.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

newsletter

ASSINE NOSSO NEWSLETTER