Os exportadores uruguaios têm priorizado as vendas para a China e recebem regularmente suas delegações. Seus esforços parecem estar dando frutos.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
uruguai
CHINA TEM COMO ALVO O URUGUAI COMO FORNECEDOR DE LATICÍNIOS, DESTAQUES DO SITE DO REBANHO LEITEIRO.

Os esforços do Uruguai para transportar produtos lácteos para a China “parecem estar dando frutos”, disse Monica Ganley, analista do Daily Dairy Report e diretora da consultoria agrícola argentina Quarterra.

De acordo com o Daily Herd, a China está intensificando sua busca por fornecedores alternativos de produtos-chave importados, após fortes críticas da Nova Zelândia e dos EUA em junho sobre a posição da China em Taiwan.

“Viabilizada pela proximidade geográfica e por um acordo de livre comércio de 2008, a Nova Zelândia é há muito tempo um grande fornecedor de produtos lácteos, especialmente leite em pó integral, para a China”, disse Ganley. “Entretanto, um clima político em mudança poderia minar esta relação”.

“Os exportadores uruguaios têm priorizado as vendas para a China e recebem regularmente delegações chinesas. Seus esforços parecem estar dando frutos”, disse ela, destacando a intenção do Uruguai de chegar a um acordo de livre comércio com a China. Se houver progresso nessa direção, o leite em pó exportado pelo Uruguai para o país asiático não terá mais que pagar a tarifa de 10% para entrar nesse mercado.

Entre janeiro e julho deste ano, o Uruguai exportou 19.942 toneladas de produtos lácteos para a China, no valor de US$ 73,3 milhões, de acordo com dados da Alfândega.

Por produtos, o leite em pó integral é a principal remessa: 16.900 toneladas por US $66,16 milhões. Os dados mostram uma queda de 35% em volume em comparação ao ano passado, mas o Uruguai ainda é o segundo maior fornecedor de produtos lácteos para a China entre janeiro e junho, de acordo com os últimos dados processados pelo site especializado Clal. O declínio vem contra um pano de fundo de um abrandamento nas compras de laticínios pela China.

Um acordo comercial bem-sucedido entre os dois países permitiria ao Uruguai vender mais produtos lácteos à China, disse ele, mas dado que a produção de leite do Uruguai é apenas cerca de 10% do que a Nova Zelândia produz, a China ainda teria que contar com outros fornecedores-chave de laticínios, pelo menos a curto prazo.

Boletim de Preços
Informe com análise e acompanhamento das variações de preços de indicadores de interesse da cadeia do leite.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER