Objetivo é aumentar a produtividade e capacitar os produtores de leite para, em vez de vender o leite in natura, processar e fabricar queijos e derivados para agregar valor ao produto
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Objetivo é aumentar a produtividade e capacitar os produtores de leite para, em vez de vender o leite in natura, processar e fabricar queijos e derivados para agregar valor ao produto

O município de Campos conta cerca de duas dezenas de pequenas agroindústrias e destas, 12 empresas são do segmento do laticínio, que processa leite e produz derivados, como manteiga, iogurte e variedades de queijos. A Secretaria de Agricultura, Pecuária e Pesca tem planos para ampliação do segmento do leite e, neste propósito, criou o Programa Leite Campos, que implementará políticas públicas para apoiar os pequenos produtores rurais a aumentar a produtividade e agregar valor na atividade da pecuária de leite. (leia mais abaixo).

De acordo com o secretário, Almy Junior Cordeiro, a proposta do Programa é a de proporcionar mais renda ao produtor rural a partir do melhoramento da produtividade e do processamento do leite por meio dos pequenos laticínios que transformam o produto in natura em manteiga, iogurte, doce de leite, ricota, provolone e outras variedades de queijos. (leia mais abaixo).

“O pequeno produtor que produz o leite e vende sua produção in natura tem a lucratividade bastante prejudicada. A pecuária de leite precisa estar atrelada a uma unidade de agroindústria, no caso dos pequenos produtores uma micro indústria de laticínio é inviável. O Programa Leite Campos vai apoiar o pequeno produtor a agregar valor à sua produção de leite. O programa terá ações de fomento como a inseminação artificial, a transferência de embriões para melhoramento genético do rebanho do gado leiteiro e o ensino das boas práticas de produção”, informa o secretário Almy Junior Cordeiro.

Atualmente a Secretaria de Agricultura, Pecuária e Pesca tem no cadastro do segmento do Laticínio 12 microempresas regularizadas para produzir queijos. Na região Sul de Campos, as empresas regularizadas que processam o leite e produzem queijos são as seguintes: Imbelak, em Santo Antônio do Imbé, fabrica queijo, mussarela (bolinha e bloco) e queiro provolone; também no Imbé o pequeno laticínio Bom Paladar fabrica as mesmas variedades de queijos.

Na região Serrana Sul, na localidade de Sentinela do Imbé, o laticínio Serra do Imbé fabrica queijo mussarela e queijo minas frescal; no distrito de Serrinha, o Laticínio Santa Cecília produz queijos diversos; na localidade de Rio Preto, no distrito de Morangaba, também na região serrana de Campos, a empresa Sítio Riacho Doce produz o queijo minas frescal; na localidade de Pernambuca, no distrito de Ibitioca, o laticínio Supermilk também produz queijo minas frescal.

No setor Norte de Campos, no distrito de Santa Maria, o laticínios Delícias Puro Leite processa o leite e fabrica o queijo minas frescal; no mesmo distrito uma produção artesanal devidamente regularizada também produz o queijo minas frescal.

Na Baixada Campista, o laticínio Campo Limpo produz queijo parmesão, queijo minas frescal e iogurte; na Baixada, setor Leste, no Assentamento Zumbi dos Palmares, uma família de assentados tem empresa registrada para a produção de queijo minas frescal com a marca Queijos da Roça.

 

Inventados para aliviar o trabalho nas salas de cura, eles ajudam na metamorfose dos queijos suíços.”

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER