Produção de queijo - Representantes do Sistema FAEMG/Senar Minas e de entidades ligadas à produção de leite no Norte de Minas reuniram-se para discutir os problemas na produção de queijo – especialmente o de leite cru -, produto comum na maioria das propriedades rurais da região. O encontro foi na sede da Codevasf, em Montes Claros.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Produção de queijo – Representantes do Sistema FAEMG/Senar Minas e de entidades ligadas à produção de leite no Norte de Minas reuniram-se para discutir os problemas na produção de queijo – especialmente o de leite cru -, produto comum na maioria das propriedades rurais da região. O encontro foi na sede da Codevasf, em Montes Claros.

Diante da grande demanda de estruturação da cadeia produtiva e do reconhecimento da região como produtora de queijo artesanal, foi criado um Comitê Gestor de Queijos Artesanais do Norte de Minas, composto por representantes de instituições privadas e governamentais. O grupo vai trabalhar a conformidade com a Política Nacional de Desenvolvimento Regional para buscar investimentos públicos e articular o desenvolvimento da cadeia produtiva do queijo artesanal. A ideia é seguir exemplo das regiões da Canastra e do Serro, onde a Codevasf já iniciou implantação da Escola de Mestre Queijeiro Artesanal, em São Roque de Minas.

O comitê será composto pelo Sistema FAEMG/Senar Minas, Codevasf, Asproqueijo, Emater, Associação Comercial e Industrial de Porteirinha, Sebrae, Idene, Sindicato dos Produtores Rurais e Sociedade Rural de Montes Claros, UFMG, Unimontes, Institutos Federais de Salinas e Montes Claros, IMA, Seapa, Embrapa, Epamig, MAPA, Federaminas, Prefeituras Municipais de Porteirinha, Espinosa e Pai Pedro.

Uma nova reunião foi marcada para o dia 20 de agosto, e serão convidados os deputados estaduais e federais da região. O objetivo é que eles conheçam os entraves que estão prejudicando a classe e busquem, junto aos governos estadual e federal, apoio para a solução dos problemas.

COMENTÁRIOS

Silvanei Batista, prefeito de Porteirinha

Para o desenvolvimento do setor, a primeira providência é a regularização da Lei 23.157, que oficializa a produção artesanal de queijo de leite cru, como agroindústria de pequeno porte e possibilitar o uso de leite de outras propriedades na produção. Precisaremos também buscar, junto ao governo do estado, a transferência da fiscalização da produção de leite e derivados do IMA para o Consórcio União da Serra Geral, por intermédio de técnicos treinados para a função. Atualmente, um dos grandes entraves do setor é a demora da liberação do IMA de documentação para o funcionamento das queijarias.

Denise Maia, extensionista da Emater e representante da Secretaria Estadual de Agricultura

O mais importante deste movimento é buscar ajuda para o homem do campo, que está desesperado com tanta burocracia. Como se já não bastasse a seca, que assola a região, o produtor ainda tem que enfrentar as dificuldades na legislação.

Fabrício Lopes e Alex Demier, representantes da Codevasf e responsáveis pelo Programa de Arranjos Produtivos no Norte de Minas

O Comitê Gestor dos Produtores de Queijos Artesanais vai coordenar ações mediante o compartilhamento de informações e o aproveitamento da cooperação coletiva, a fim de propiciar a inovação, a diferenciação, a competitividade e a sustentabilidade dos empreendimentos associados. Também deverá identificar, viabilizar e acompanhar ações, que tenham o objetivo o desenvolvimento econômico e social da região.

O preço do leite longa vida caiu pelo terceiro mês consecutivo nos supermercados do país.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER