O equilíbrio entre alimentos volumosos e concentrados da dieta é muito importante sendo que a quantidade adequada de fibra estimula a produção de saliva que proporciona melhor fermentação dos alimentos no rúmen
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Campanha de vacinação febre aftosa. Campo Largo, 09/05/2019 Foto:Jaelson Lucas / ANPr

O equilíbrio entre alimentos volumosos e concentrados da dieta é muito importante sendo que a quantidade adequada de fibra estimula a produção de saliva que proporciona melhor fermentação dos alimentos no rúmen, e como consequência melhora no aproveitamento dos nutrientes ingeridos pelos ruminantes.

A escolha dos alimentos da dieta do gado e o manejo nutricional para fornecimento aos animais, são pilares para uma melhor produção de leite.

Segundo o médico veterinário do Grupo Matsuda, Eduardo Pontalti, o equilíbrio entre alimentos volumosos e concentrados da dieta é muito importante sendo que a quantidade adequada de fibra estimula a produção de saliva que proporciona melhor fermentação dos alimentos no rúmen, e como consequência melhora no aproveitamento dos nutrientes ingeridos pelos ruminantes. A produção de saliva dos bovinos pode ser superior a 200 litros por dia quando a fibra está ajustada na dieta e isso é muito importante, pois a saliva tem componentes que neutralizam o excesso de ácido lático produzido dentro do rúmen e previne a ocorrência de acidose ruminal.

 

Outra dica importante é quanto ao número de vezes que o produtor deve alimentar os animais diariamente ou o tempo que a dieta fica à disposição do gado ao longo do dia. “Além do balanceamento de fibra, é importante o ajuste da dieta como um todo, levando em consideração a exigência nutricional de acordo com peso do animal, produção de leite, estágio produtivo, necessidade de quilos de matéria seca, quantos quilos de volumoso, quantos quilos de concentrado, quantos gramas e miligramas de minerais, quantas vezes vou parcelar isso durante o dia, etc. Por exemplo, vamos imaginar que tenho a melhor silagem, o melhor feno, mas isso de nada adianta se não for fornecido corretamente para o gado leiteiro dividido em várias refeições ao longo dia, e compara isso com as refeições do ser humano, que precisa de um bom café da manhã, almoço e jantar”.

 

Segundo Eduardo Pontalti, muitas vezes devido à escassez de mão de obra, o animal acaba recebendo poucas refeições ao longo do dia e grande quantidade de concentrado de farelos de grãos, o que pode gerar riscos à saúde do animal. Em geral, o ideal seria que o ruminante não ingerisse o concentrado puro, e que a quantidade não ultrapassasse três quilos por vez. “Na rotina da propriedade, se o produtor tentar reduzir o número de tratos por dia, o aproveitamento do alimento acaba sendo incompleto ou ocorrem problemas digestivos; podem ocorrer diarreias por acidose ruminal e visualização de alimentos não digeridos nas fezes. O bovino quando apresenta acidose no rúmen, sente desconforto, assim como o ser humano que sente azia e queimação no estômago, e para de comer; o animal também reduz a ingestão de alimentos afetando sua produção de leite. Para verificar se os bovinos estão com acidose ruminal é importante observar as fezes dos animais, pois elas indicam quando o animal está ingerindo adequado teor de fibra na dieta ou não. As fezes devem ter formato de bolo, com várias camadas de fezes sobrepostas.

Campanha consumo de leite – A Campanha da 1ª Semana do Leite, prevista para ocorrer na primeira quinzena de novembro, foi o tema central da 18ª Reunião da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Leite e Derivados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), realizada nesta sexta-feira (17).

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER